Pedindo discernimento.



Pedindo discernimento.

[Cl. 1: 9b] ...oramos continuamente por vocês...

Você conclui a Faculdade de Teologia por vocação. Desde então tem estudado, pesquisado e batalhado inclusive outras formas de investigação a fim de instruí-lo profundamente no conhecimento de Deus; e, que somando ao dom da eloquencia que Deus lhe deu, fez de você um astro das preleções. Elogios e convites não faltam. Mas por que, que, quando você bota a cabeça no travesseiro, fica se perguntando: “Onde está o verdadeiro fruto do meu Ministério?” Logo vem a resposta dolorida que você já conhece e que vem de dentro d’alma: “não sei, porque não tem”. Então você se volta para Deus e pede discernimento em oração.

O discernimento nos diz que devemos orar em tudo e orar com atenção. Somente orando podemos entender a verdadeira diferença entre conhecer Deus e ser amigo de Deus. O Estado conhece seus antecedentes e a sua declaração de rendimento mais que qualquer um dos seus amigos, no entanto de quem você gosta mais, das autoridades que sabem detalhes da sua vida ou dos seus amigos que só te conhece pelo que você tem dito a eles? Hum!

Assisti a uma preleção do Rev. Hernandes Dias Lopes, ele dizia que sermão sem oração baseado no que a pessoa conhece é um sermão morto que não aviva nenhum morto pelo contrário dar mais sono ao morto. O discernimento nos diz que devemos pedir a Deus que nos conceda pleno conhecimento de sua vontade, com toda a sabedoria que vêm do Espírito [v.9]. É a única forma de aprendermos a amar mais o criador do que a criação. E, viveremos uma vida digna do Senhor, fazendo tudo o que ele aprova: daremos fruto em toda atividade boa e cresceremos como amigos de Deus [v.10].

Precisamos nos fortalecer no propósito da oração para glorificar o Pai como Jesus o fez em tudo e a todo o momento. A perseverança do crente não está na estratégia de conhecer com profundidade teórica a Deus, mas de encarnar o próprio Deus como Jesus o fez em tudo e a todo o momento. O sentido metodológico do crente não consiste em traçar crescimento numérico para agradar a Deus, mas de estar cheio de graça e verdade em oração pelo Pai como Jesus o fez em tudo e a todo o momento [v.11].

Com alegria, vamos dar graças ao Pai, que nos permitiu participar da herança dos cristãos, na luz [v.12]. Isso basta ao Pai que tudo sabe, tudo ver e nos sustenta. E, podemos viver com discernimento crítico diante das situações.

Luiz Clédio Monteiro 
Fundador da Rede Social Cristã
Site: http://doutrinacrista.ning.com/
Web: http://doutrinacrista.ning.com/profile/luizclediomonteirofilho
Blog [Doutrina Cristã]: www.cledio.blogspot.com
E-mail: Lcmf56@hotmail.com
Share on Google Plus

About Doutrina Cristã

0 comentários:

Postar um comentário

Não use o silêncio como a melhor forma de dizer Aleluia!
Deixe seu comentário.
Ele é muito importante.
Obrigado