O administrador fiel e prudente.

Luiz Cledio Monteiro
http://www.cledio.blogspot.com/

Quem é o administrador fiel e prudente, que o senhor coloca à frente do pessoal de sua casa, para dar a comida a todos na hora certa? Bem-aventurado aquele servo que o senhor, ao chegar, encontra fazendo isso! (Lc. 12: 42-43).

Ele é o papai. Embora, pai mesmo, é o que está no céu. Ele é bom e santificada é a sua misericórdia que dura para sempre (Aba Sela). E não é preciso que alguém o coloque à frente das coisas. Ele mesmo por amor Dele, assim se faz misericordioso.


Quanto a nós, “pais de família”; assim chamado. Não somos mais que administradores do “Projeto Família” instituído por Jesus. Nisso portanto, devemos ser fieis e prudentes, para sermos felizes nas bem aventuranças do Senhor.


Mas ser pai, também tem sua poesia, seu encanto. Estava lendo o artigo de Oswaldo dos Santos Araujo, 37, casado, pai de dois filhos, onde dizia: Ser pai é mais do que gerar um filho, mais do que transmitir seus genes para a posteridade, antes é uma missão, a missão de ensinar seus filhos a serem melhores, e melhores que nós mesmos. Fazer um mundo melhor, mais humano, mais justo. Cada atitude é mais do que um simples falar, é uma lição de vida, de carinho e de amor.


Ser pai começa antes de gerarmos um filho, é uma vocação que nasce conosco, nas atitudes da vida inteira construímos ser pai, e o pai pode ser até quem não é pai, propriamente dito. Tem pai que é pai por criar os filhos dos outros ou cuidar de uma comunidade como um verdadeiro pai. Quem tem a vocação de pai, pode ser padre, pode não ser pai natural, mas ele será pai, alguns vão adotar filhos, outros vão orientar outros e, quem não o fizer, vai negar a si mesmo. Quem tiver esta vocação e deixá-la crescer dentro de si, vai ser pai de uma maneira ou de outra.


Li também num site de poesia sobre os pais: Ser pai é saber e calar. Fazer e guardar. Dizer e não insistir. Falar e dizer. Dosar e controlar-se. Dirigir sem demonstrar. É ver dor, sofrimento, vício, queda e tocaia, jamais transferindo aos filhos o que, a alma, lhe corrói. Ser pai é ser bom sem ser fraco. É jamais transferir aos filhos a quota de sua imperfeição, o seu lado fraco, desvalido e órfão. Ser pai é aprender a ser ultrapassado, mesmo lutando para se renovar.


Também vi outro assim: Ser pai é ser criança, aprendendo e vivendo sempre coisas novas e boas. Ser pai é ser filho, seguindo e trilhando os rumos traçados. Ser pai é ser irmão, Pois desta maneira se treina para paternidade. Ser pai é ser amigo, compreendendo e ajudando. Ser pai é ser avô, observando e encaminhado os filhos a serem bons pais. Ser pai é ser mestre, espalhando a sabedoria e seus conhecimentos. Ser pai é ser como Cristo, educando e praticando seus ensinamentos.


Lindo não. É bom ser pai, esperado continuamente a chegada imprevisível do Senhor, servindo a nossa família atento. Mostrando que isso vale ainda mais para nós, por que recebemos de Jesus o encargo de servir provendo às necessidades.


A quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido (Lc. 12: 48b).


Feliz Natal, meus filhos!


Share on Google Plus

About Doutrina Cristã

0 comentários:

Postar um comentário

Não use o silêncio como a melhor forma de dizer Aleluia!
Deixe seu comentário.
Ele é muito importante.
Obrigado