Por que às vezes os justos sofrem

Alguns ficam ofendidos, confusos. Mas Davi disse: “Preciosa é aos olhos do Senhor a morte dos seus santos” (Salmo 116:15). O que ele está dizendo é que o sofrimento, ou mesmo a morte de uma alma piedosa, é para o mundo um sinal de perda, ruína, ou desastre - mas para aqueles que conhecem a Deus tudo é libertação, pela vida ou pela morte.

Há santos testados que sofreram grandemente. Eles foram sacudidos de todos os lados, tentados, provados, testados, maltratados. A Bíblia fala da “comunhão dos Seus sofrimentos” (Fl. 3:10 - Quero, assim, conhecer a Cristo, o poder da sua ressurreição e a comunhão em seus sofrimentos, para tornar-me semelhante a ele em sua morte). É uma comunhão de sofrimento compartilhado: sofrimento profundo, misterioso; provações e testes insondáveis. Jesus provou que é possível suportar e se graduar como vencedor.

Outros santos enfrentam lutas são como estudantes do sofrimento - e tem freqüentado a escola de simpatia e de esperança de Deus (simpatia -faculdade que alguns têm de compartilhar as tristezas ou alegrias de outrem). Eles enfrentaram sofrimentos e dores, e agora pode oferecer conforto, esperança, e força porque conhecem a agonia dos sofrimentos.

Jesus suportou angústia mental e física - Ele foi rejeitado, alvo de desconfianças, insultado, zombado, alvo de risos. Conheceu o significado de se estar só, faminto, pobre, não amado, envergonhado, ser objeto de pilhérias, difamações. Foi chamado de mentiroso, enganador, falso profeta. Foi humilhado; a sua própria família não O compreendeu; seus amigos mais de confiança perderam a fé nEle; seus próprios discípulos O abandonaram e fugiram, um deles até negou que O conhecesse. Por fim, cuspiram nEle, zombaram dEle e O assassinaram! “...Deus...anunciara por boca de todos os profetas: que o seu Cristo havia de padecer” (Atos 3:18). Jesus tem a faculdade de compartilhar todas as nossas dores e o nossos sofrimentos porque passou por tudo isto. “Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as cousas, à nossa semelhança, mas sem pecado.” (Hebreus 4:15).

O meu objetivo com esta mensagem é lhe prevenir para não ficar transtornado pelos problemas e pelo sofrimento de sua própria vida, ou por aquilo que vê nas vidas de muitas pessoas piedosas em torno. Você pode amar Jesus agora mais do que nunca anteriormente, e não entender o porquê de estar enfrentando tanto sofrimento e tantas dores. Você pode estar seguro de que Deus possui um propósito divino por trás de cada provação, por trás de cada sofrimento que você está enfrentando neste instante!

Paulo tinha um grande interesse em que os cristãos não se abalassem pelos sofrimentos que viam na vida dele. Ele sabia que a sua vida era um espetáculo, um aquário de peixes! Os judeus acreditavam que se Deus se agradasse de você, então seria sempre abençoado e nunca sofreria. Paulo não desejava que os convertidos ficassem confusos com todos os problemas que fervilhavam sobre ele. Poucos homens sofreram mais do que Paulo. Lembre-se do que Ananias profetizou para ele logo após sua conversão: “...porque este é para mim um instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios e reis, bem como perante os filhos de Israel; pois eu lhe mostrarei quanto lhe importa sofrer pelo meu nome” (Atos 9:15-16). A minha Bíblia diz que todas as nações perseguirão os verdadeiros crentes; todas as nações trarão tribulação sobre aqueles que amam Jesus. Paulo disse às igrejas: “...Antecipadamente já os prevenimos de que vamos sofrer perseguições.“

Jesus previne a respeito de um certo tipo de crente que tropeça e cai quando surgem as dificuldades: “O que foi semeado em solo rochoso, esse é o que ouve a palavra e a recebe logo, com alegria; mas não tem a raiz em si mesmo, sendo, antes, de pouca duração; em lhe chegando a angústia ou a perseguição por causa da palavra, logo se escandaliza” (Mat. 13: 20-21). Este é o cristão que faz concessões, e que de repente é despertado e há nova alegria. Ele diz: “Isto é exatamente o que eu estava procurando! Está transformando a minha vida. Que maravilha!” Ele vai para todo lado como um comercial ambulante desta nova verdade, dizendo a todos: “Você precisa vir comigo - em minha igreja lhe dão a verdade!” Ele parece estar feliz e crescendo, mas há um coração duro, de pedra, que ainda não foi quebrado. Então Deus permite sofrimento, angústia, dor, ofensas, e rejeição, e ele não entende isto! Ele não consegue computar isto. Diz: “Eu tentei! Orei - li a Bíblia - deixei de ser o que era. Então, por que tudo isso está me acontecendo agora?” A palavra de Deus está trabalhando nele, mas ele fica impaciente. Isso o ofende. Vê pessoas muito piedosas sofrendo e isto não parece certo. Aí ele tropeça nisto - desiste - e cai!

Os cristãos sofrem? Paulo não era um homem de Deus? Ouça-o: “...Eu ainda mais: em trabalhos, muito mais; muito mais em prisões; em açoites, sem medida; em perigo de morte, muitas vezes. Cinco vezes recebi dos judeus uma quarentena de açoites menos um; fui três vezes fustigado com varas; uma vez, apedrejado; em naufrágio, três vezes; uma noite e um dia passei na voragem do mar...em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos entre patrícios, em perigos entre gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre falsos irmãos; em trabalhos e fadigas, em vigílias, muitas vezes; em frio e nudez...diariamente, a preocupação com todas as igrejas” (2 Cor. 11: 23-28). Durante toda a sua dor e o seu sofrimento, Paulo podia dizer em triunfo: “Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós” (Rom. 8:18).

Este é um chamamento para se despertar, se livrar da apatia, voltar a servir e a confiar em Deus, manter-se reto e ser curado - senão total apostasia se instalará. Livre-se de todo pensamento de desistir. Traga em cativeiro todo pensamento de arrefecer em sua obediência total ao Senhor.

Mas um Deus onisciente não iria nos colocar numa fornalha, caminhar uma parte do caminho conosco, e a seguir se arrepender e nos deixar. Ele não vai desistir de nós antes de cumprir a Sua vontade. Assim tudo teria sido em vão. Ele não vai nos poupar por causa do nosso choro. Paulo fala em ser “entregue à morte” para que a vida possa aflorar. “Porque nós, que vivemos, somos sempre entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus ser manifeste em nossa carne mortal” (2 Coríntios 4:11).
Você tem suplicado a Deus por uma libertação? Em vez disto o problema tornou-se pior? As coisas estão se agravando, em vez de melhorarem? Alegre-se! Você está prestes a perder a luta, prestes a morrer para a sua vontade. Esta é a saída - através da morte da vontade própria.

É melhor sermos capaz de dizer: “Não importa o que esteja para acontecer - não importa o sofrimento ou a aflição: Deus Se provou fiel. Ele produziu vida a partir da morte. Nenhuma destas aflições me agitam agora. Ainda que Ele me mate, mesmo assim confiarei nEle!”

Luiz Clédio Monteiro Filho
São Luis - MA

Adaptado de David Wilkerson
(da parte de World Challenge)
Share on Google Plus

About Doutrina Cristã

0 comentários:

Postar um comentário

Não use o silêncio como a melhor forma de dizer Aleluia!
Deixe seu comentário.
Ele é muito importante.
Obrigado