ALVORADA.


ALVORADA.

Deus provocada pelo orgulho de Babel, que se apresenta como símbolo social deformado pela autossuficiência, uma estrutura injusta, exploradora e opressora [Gn. 11: 4] Disseram: “Vamos construir uma cidade e uma torre que chegue até o céu, para ficarmos famosos e não nos dispersarmos pela superfície da terra”. Fez surgi uma geração que deveria se tornar o modelo de louvor e adoração ao Pai Celestial – os hebreus: Alvorada de uma nova nação, denominada a partir de Héber, advinda dos antepassados de: Sem [filho de Noé], ... até Salé – [Gn, 10: 14] Quando Salé completou trinta anos, gerou Héber.

Sucessivamente, nasce o hebreu denominado “o pai da fé”, Abrão [Gn. 11: 26] Quando Taré completou setenta anos, gerou Abrão, Nacor e Arã. É dele, que (posteriormente alcunhado por Deus de Abraão), dá início a uma nova história, voltada para uma relação social justa, para uma cultura verdadeiramente humana – o processo preparatório da vinda do Filho de Deus – Jesus o Cristo, dirigido para a vida, fundada na justiça e na fraternidade – [Gn. 12: 1-3] Javé disse a Abrão: “Saia de sua terra, do meio de seus parentes e da casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei. Eu farei de você um grande povo, e o abençoarei; tornarei famoso o seu nome, de modo que se torne uma bênção. Abençoarei os que abençoarem você e amaldiçoarei aqueles que o amaldiçoarem. Em você, todas as famílias da terra serão abençoadas”.

Mais tarde este embrião de um povo que terá a missão de trazer a bênção de Deus para todas as nações da terra através de Jesus, passou a se chamar, Israel (nome dado ao patriarca Jacó descendente de Abraão), por um anjo, ao “lutar com Deus” [Gn. 32: 28-30] O homem lhe perguntou: “Qual é o seu nome”? Ele respondeu: “Jacó”. O homem continuou: “Você já não se chamará Jacó, mas Israel, porque você lutou com Deus e com homens, e você venceu. Contudo, esse povo, se referia à própria raça usando o termo, hebreu – [Dt. 15: 12]. Quando um de seus irmãos, hebreu ou hebréia, for vendido a você como escravo... 

Tal nação israelita se estabeleceu [1.300 a. C.] em partilhas de doze tribos, após a conquista das terras de Canaã, prometida por Deus ao patriarca Abraão no passado [2.100 a. C.] – [Gn. 12: 7] Javé apareceu a Abrão e lhe disse: “Eu darei esta terra à sua descendência. Tudo se concretiza na tensão histórica que existe entre o presente efetivo de Deus, que abre seu dom nas possibilidades, e o presente-futuro do homem que busca, descobre, toma posse e dá endereço ao dom de Deus. E, para que o dom se torne vida concreta, Deus propõe uma só condição: que o homem seja e continue sempre seu fiel aliado [Introdução do livro Josué].

A próspera nação de Israel, havia se tornado um império no comando do rei Davi. Com a sua morte, assumiu Salomão, o império se divide (931 a.C.) em dois reinos: o reino de Israel, com sede em Samaria, que caiu em poder da Assíria em 722 a.C., e o reino de Judá, com sede em Jerusalém, que caiu em poder da Babilônia em 586 a.C [introdução do livro de Reis].

As decepções com a monarquia se multiplicaram e, com a queda dos reinos de Israel e de Judá, volta o antigo ideal igualitário das tribos, formulado agora por Jeremias como Nova Aliança: uma sociedade sem mediações, na qual o próprio povo governa a si mesmo, graças ao conhecimento de Deus [Jr 31: 31] Eis que chegarão dias - oráculo de Javé - em que eu farei uma aliança nova com Israel e Judá.

A repatriação desde o retorno do exílio até o ano 400 a.C., se deu na tribo de Judá onde está Jerusalém. Como o restante das [onze] tribos foram descaracterizadas, desde então passou este povo que no princípio remoto da sua alvorada chama-se Hebreu; depois, Israel; agora serão conhecidos no mundo inteiro por Judeu.

A comunidade judaica, reunida em Jerusalém e centrada no culto e na lei de Deus. Sob o domínio persa, os judeus agarram a única possibilidade que lhes resta para recuperar e preservar a sua identidade como povo: a tradição religiosa dos antepassados, que agora se transforma em lei. No contexto pós-exílio, o Templo passa a ser o centro da vida da comunidade, como lugar de culto e da transmissão da lei, que fornecem a estrutura social da comunidade. [Introdução do livro de Crônicas] – [2 Cr. 36: 23] ”Ciro, rei da Pérsia, decreta: Javé, o Deus do céu, entregou a mim todos os reinos do mundo. Ele me encarregou de construir para ele um Templo em Jerusalém, na terra de Judá. Todos os que pertencem a esse povo e vivem entre nós, podem voltar para lá. E que Javé, seu Deus, esteja com eles”.

A alvorada concluiu-se, mas o tempo do dia do Senhor, está em curso.


[Por: Luiz Clédio Monteiro – jan/2017]
Share on Google Plus

About Doutrina Cristã

0 comentários:

Postar um comentário

Não use o silêncio como a melhor forma de dizer Aleluia!
Deixe seu comentário.
Ele é muito importante.
Obrigado