Header Ads

Dominando o corpo



Dominando o corpo

Por: Luiz Clédio Monteiro

Recebemos da professora particular do nosso neto JP (8 anos), uma queixa de que ele não estava prestando a devida atenção às aulas. Isto a princípio me pareceu fácil de resolver, se não fosse pelo que ele explicou como motivo da sua displicência. Ele disse: “é que a minha mão, não quer mais me obedecer! Chego a ficar horas esperando que ela se decida a fazer comigo o meu dever”. Muito estranho, pensei. A mão dele não o obedece? Ele aclarou que tentava a todo custo escrever, mas ela sua mão, se negava em ceder os movimentos. Por isto ele parecia distraído, mas que na verdade, ele estava pensando num modo de convencer a sua mão a escrever. Essa fora a explicação dele. Eu acreditei. E, logo pensei numa forma de ajudá-lo biblicamente.

A Bíblia nos diz em Pv. 25:28 – “Como a cidade com seus muros derrubados, assim é quem não sabe dominar-se.” Dessa forma meu neto teria que aprender a dominar-se, mas como um garoto de 8 anos aprenderia a refrear sua(s) mão(s)?

Autocontrole ou o domínio próprio é a defesa que ele precisava saber para dominar o que faz guerra contra sua alma. Sem autocontrole qualquer um se torna presa fácil para qualquer tipo de invasor. Como disse Tiago (1.14) “Cada um, porém, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por este arrastado e seduzido.”

A vida cristã assim como das crianças é continuamente tentada pelo mal. Este mal é personificado por demônios e forças invisíveis tais como: Principados, Autoridades, Poderes, Soberanias; mas também por composições que geram egoísmo, injustiça, ódio, opressão e morte (Ef. 6: 10-20).

Em Efésio 6: 16 temos uma recomendação que diz: “Tenham sempre na mão o escudo da fé, e assim poderão apagar as flechas inflamadas do Maligno.” A resposta para o problema está em saber usar as armas que combatem o mal; a verdade, a justiça, o testemunho do Evangelho, a fé, e, a Palavra de Deus.

Meu neto precisava aprender (logo sedo) a verdade do fracasso de não ter capacidade de dominar essa coisa interior. E, que tal motivo geraria a justiça (misericórdia) de Deus no seu caráter, a fim de poder testemunhar o que tem sido falado no Evangelho sobre o quanto poderoso é a fé expressada em oração em apelo à Palavra de Deus, que pode controlar as paixões e os anseios dentro de nós.

Então disse ao meu neto, “só temos uma coisa a fazer, orar”. Pois “Deus nos provê tudo que precisamos para nossa satisfação” (1Tm. 6.17). Então oramos juntos sobre o assunto; e, já na manhã seguinte ele dizia que havia sentido melhora quanto ao conter sua própria mão. Ele mesmo me pediu que escrevesse em meu blog sobre isto; para que as pessoas soubessem que Jesus havia atendido sua oração e que estava ajudando-o a controlar seu corpo.

Tratar mal o corpo é pecado. Contudo, devemos mantê-lo dentro dos limites estabelecidos por Deus. Portanto, “abstenha-se dos desejos carnais que guerreiam contra a alma” (1Pe 2.11).
Tecnologia do Blogger.