DESNUDO!


DESNUDO!

[Hb. 4: 12-13] – A palavra de Deus é viva, eficaz,
e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes;
ela penetra até o ponto onde a alma e o espírito se encontram,
e até onde as juntas e medulas se tocam;
ela sonda os sentimentos e pensamentos mais íntimos.
Não existe criatura que possa esconder-se de Deus;
tudo fica nu e descoberto aos olhos dele;
e a ele devemos prestar contas.

Entretanto embora estejamos nus, totalmente descobertos aos olhos de Deus, não devemos temer e fugir, pelo contrário, carecemos de nos aproximar confiantes de Jesus, certos de sua acolhida misericordiosa quando desnudos – [Gênesis 3: 9-10] – Mas o SENHOR Deus convocou o homem, indagando: “Onde é que estás?” O homem declarou: “Ouvi o som do teu caminhar no jardim e, vendo que estava nu, tive receio; por essa razão me escondi!”

Pala narrativa podemos ver que o pecado entrou e continua no mundo. Mas a justa compaixão do nosso sacerdote Jesus; nos chama a interceder com piedade; e, não condenar abusivamente os outros, principalmente os da família, na hora da sua nudez pecadora – [Gn. 9: 20-26] Noé... Bebeu o vinho, embriagou-se e ficou nu dentro da tenda. Cam... viu seu pai nu e saiu para contar a seus dois irmãos. Sem e Jafé, porém, tomaram o manto... e, andando de costas, cobriram a nudez do pai...; não viram a nudez do pai. Quando Noé acordou da embriaguez, ficou sabendo... E disse: “Maldito seja Canaã. Que ele seja o último dos escravos para seus irmãos”. E continuou: “Seja bendito Javé, o Deus de Sem...”

Não vamos achar que o nu emane ser sinônimo de pecado. Não. Adão e Eva, quando angelicalmente inocentes, andavam nus na presença de Deus. Também há o nu como sinal profético, determinado por Deus como foi no caso do profeta Isaias, que andou nu, por três anos – [Is. 20: 2] Então, Javé falou por intermédio de Isaías, filho de Amós, como já lhe havia dito antes: “Vamos! Tire esse pano de saco do corpo e as sandálias dos pés”. Assim fez Isaías, que começou a andar nu e descalço.

Há também outro tipo de nudez, que vem da pobreza, fundada nos direitos sociais e justiça; que deve sensibilizar a nossa sincera solidariedade para com os oprimidos. Só assim estaremos cobrindo a nossa nudez pecaminosa perante Deus [Is. 58: 6-8] O jejum que eu quero é este: acabar com as prisões injustas, desfazer as correntes do jugo, pôr em liberdade os oprimidos e despedaçar qualquer jugo; repartir a comida com quem passa fome, hospedar em sua casa os pobres sem abrigo, vestir aquele que se encontra nu, e não se fechar à sua própria gente. Se você fizer isso, a sua luz brilhará como a aurora, suas feridas vão sarar rapidamente, a justiça que você pratica irá à sua frente e a glória de Javé virá acompanhando você.

Mas tem uma nudez que Deus odeia. É a nudez fingida, não assumida; que, para manter a aparência, se gaba de rica e auto-suficiente: confia em si mesma, e não quer depender de ninguém. Não quer aceitar que a verdadeira riqueza vem de ouvir a palavra de Jesus e ficar unida a Ele – [Ap. 3: 17-18] Você diz: ‘Sou rico! E agora que sou rico, não preciso de mais nada'. Pois então escute: Você é infeliz, miserável, pobre, cego e nu. E nem sabe disso. Quer um conselho? Quer mesmo ficar rico? Então compre o meu ouro, ouro puro, derretido no fogo. Quer se vestir bem? Compre minhas roupas brancas, para cobrir a vergonha da sua nudez. Está querendo enxergar? Pois eu tenho o colírio para seus olhos.

É bom ser submisso – [Ef. 5: 21] Sejam submissos uns aos outros no temor a Cristo

[Por: Luiz Clédio Monteiro / jan2017]


Share on Google Plus

About Doutrina Cristã

0 comentários:

Postar um comentário

Não use o silêncio como a melhor forma de dizer Aleluia!
Deixe seu comentário.
Ele é muito importante.
Obrigado