Header Ads

RUMO AO NOVO HORIZONTE.


RUMO AO NOVO HORIZONTE.

A formação social, econômica, política e religiosa da Palestina no século I, vinham se arrastando há mil anos (A.C.), num aspecto pessimista, desumano e cansado de tanto ser controlada por forças estrangerias, aos quais deviam pagar pesados tributos. Essa situação não deixava esperança de futuro melhor para o povo. Era um mundo sem horizonte, onde o povo buscava desesperadamente uma perspectiva de vida nova, de um rumo a um novo horizonte. Em síntese o sentimento do povo era de que tudo é frágil e passageiro; viviam trabalhando, mas não tiravam proveito algum do seu trabalho. [Ec. 1: 2-3] - Ó suprema fugacidade, diz Coélet, ó suprema fugacidade! Tudo é fugaz! Que proveito tira o homem de todo o trabalho com que se afadiga debaixo do sol?

Não há fé que resista quando se perde o sentido da vida. Quando isso acontece todas as coisas perdem o significado. A vida se torna repetição monótona e enfadonha, sem motivação nenhuma. [Ec. 1: 8] - Toda explicação fica pela metade, pois o homem não consegue terminá-la. O olho não se farta de ver, nem o ouvido se farta de ouvir.

Era tão entediada a situação do povo, que nos últimos quatrocentos anos (A.C.), não houve notícia de se ter visto um profeta nos arredores de Jerusalém, com conhecimento e erudição que os levassem para a felicidade. O povo precisava urgentemente de um guia que os levassem ao um novo horizonte. [Ec. 1: 18] - porque, onde há muita sabedoria, há também muita tristeza, e onde há mais conhecimento, há também mais sofrimento.

Deus não abandona o seu povo, Ele ouve e atende as orações que se faz em espírito. Quando não havia mais esperança, em meio ao caos - “a Palavra se fez homem e habitou entre nós. E nós contemplamos a sua glória: glória do Filho único do Pai, cheio de amor e fidelidade.” [Jo 1: 14].

Jesus chegou. A Nova Aliança ele anunciou - Através de sua palavra e ação, Jesus inaugurou a nova aliança ou, em outras palavras, o Reino de Deus. Esse Reino não é mais aliança com um povo só. É aberto a todos os homens, todos os povos de todos os tempos e lugares. Em Jesus, Deus quer reunir toda a humanidade como uma família em que todos são chamados a viver como irmãos, repartindo entre si todas as coisas. Essa grande reunião, onde tudo é partilha e fraternidade no amor, é o Reino de Deus que, semeado na história, vai crescendo até que se torne realidade para todos. [texto tirado Bíblia Sagrada - Edição Pastoral].

O Novo Testamento conta a história de como a esperança surgiu, não só para os judeus, mas para o mundo inteiro. A realização de Cristo das profecias foi antecipada e reconhecida por muitos que O procuraram. As histórias do centurião romano, dos reis magos e do fariseu Nicodemos mostram como Jesus foi reconhecido como o Messias por aqueles que viveram no Seu tempo. Os “400 anos de silêncio” foram quebrados pela história mais maravilhosa jamais contada – o Evangelho de Jesus Cristo! [gotquestions.org].


[Por: Luiz Clédio Monteiro – jul/2016]

Tecnologia do Blogger.