Header Ads

Amando a Jesus com amor perene.





Amando a Jesus com amor perene.

[Ap. 3: 19] Quanto a mim, repreendo e educo todos aqueles que amo. Portanto, seja fervoroso e mude de vida!

Amar a Jesus com amor perene e permanecer amando-o abundantemente e copiosamente, quando te fizerem insignificante; é permanecer, inesgotável, inexorável e duradouro na fé; é servir com fervor eterno, inacabável ao Senhor; por fim, é nunca se exaurir em testemunhar corajosamente o amor de Jesus pelos pobres, oprimidos, excluídos, acamados...

Porque quando estamos em processo de conversão para seguir a Jesus, nos tornamos capaz de perceber, pelo Espírito, qual é a palavra a ser dita e a ação oportuna a ser realizada [v.7]. Somos ativos e fazemos muitas coisas boas. Mas se deixarmos de obedecer ao mandamento do amor, corremos o risco de perder a identidade cristã [Ap. 2: 1-7; Jo 13: 35]. 

É preciso ser perene. E, quando isso não acontece achamos que somos auto-suficientes, que não precisamos de ajuda. Mas a palavra do Senhor nos faz saber que no fundo somos infelizes, miseráveis, pobres, cegos e que estamos nus.

O conselho? É voltar ao amor perene com Jesus e, comprar o seu ouro, ouro puro, derretido no fogo que é a Palavra. Comprar a sua roupa branca, para cobrir a vergonha da nudez da incredulidade. Comprar dele colírio para os olhos para enxergar melhor para resistir à religião imperial (trono de Satanás) que efetua perseguições e martírios, mas sucumbe à sedução do sincretismo religioso (doutrina de Balaão e dos nicolaítas) [v. 17-18].   

A vida cristã é luta contínua contra o mal, e as armas para o combate são: verdade, justiça, testemunho do Evangelho, fé, Palavra de Deus [Ef. 6: 10-20]. A perenidade consiste no testemunho e no seguimento de Jesus. Por isso, não devemos temer as perseguições: assim como Jesus morreu e ressuscitou, do mesmo modo, também teremos sempre a vida [Ap. 2: 8-11].

O cristão no amor perene ao Senhor precisa discernir e combater a idolatria do poder político totalitário e das idéias que ameaçam a vida cristã autêntica [v. 12-17]. Do que adianta sermos exemplar em tudo, menos no combate às falsas doutrinas que ameaçam desvirtuar a vida cristã? [v. 18-29].

Ser rico e auto-suficiente, confiar em si mesmo, e não querer depender de ninguém e não ter amor perene ao Senhor; a tendência é se apoiar na hipocrisia. E, a vida de cristão fica apenas na aparência e, não corresponde à realidade [3: 1-6]. Melhor é ser fraco, mas permanecer fiel à sua fé, e com isso, receber proteção especial de Jesus na hora da perseguição. É na fraqueza do homem que se manifesta o amor de Jesus, dando-lhe força e coragem [v. 7-13]. Amem!

A verdadeira riqueza de um crente é ouvir a palavra de Jesus e ficar unida a ele em amor perene [v. 14-22].

Luiz Clédio Monteiro
                                                                   Fundador da Rede Social Cristã                                           
Blog [Doutrina Cristã]: www.cledio.blogspot.com


Tecnologia do Blogger.