Header Ads

O domínio de si.



O domínio de si.
 

[At. 22: 10] Então perguntei: “Senhor, o que devo fazer?”
 

Como autoridade, atuar cordialmente; e, ao fazer justiça ter voz de comando com propriedade benigna é para quem tem domínio de si, fruto que vem a partir do Espírito da Verdade [Gl. 5: 23].
 

O domínio de si é imprescindível para uma vida de paz e liberdade. Todo indivíduo que não domina a si mesmo é perigoso para a sociedade; visto que, não domina o egoísmo, a ganância, a soberba, a blasfêmia; é rebelde com os pais, ingrato, iníquo, sem afeto, implacável, mentiroso, incontinente, cruel, inimigo do bem, traidor, atrevido, enfatuado, mais amigo dos prazeres do que de Deus [2Tm. 3:2-4]; e, portanto carece ser contido a qualquer custo. Assim sendo é refreado pelo domínio das autoridades; às vezes permanecendo recluso em regime penitenciário; enquanto outros são dopados medicinalmente para conter suas agressões, sobrepujando-os.
 

O domínio de si é a libertação do homem a respeito de todas essas coisas; e, só pode ser adquirida em Cristo não como algo vindo de fora, mas como obra que se realiza a partir de dentro do próprio homem. O convertimento!
 

A finalidade de Cristo ter encarnado, trazendo consigo o Espírito de Deus foi para que a própria condição humana aprendesse a viver sobre o domínio de si mesmo, isto é dominando o egoísmo exclusivista do seu ser. Desse modo, o homem pode seguir a Cristo e passar da morte do egoísmo para a ressurreição do ato de doar a si aos outros; tornando-se uma pessoa, aperfeiçoada, prestativa, bondosa, amável, afetiva, filantrópica, jovial, bem-aventurada, capaz de perdoar e não mais lembrar.
 

A entrada do Espírito de Deus no homem, mediante Cristo, determina uma renovação pela qual o homem sente, pensa e age totalmente livre conforme a vontade de Deus. Em lugar de ser dominado pelos instintos egoístas, passa a viver o fruto do Espírito que dá uma nova vida com domínio próprio.
 

O homem que domina a si mesmo possui um dinamismo interior agindo como uma força que vem de Deus que liberta da tirania e, em seu lugar determina o Espírito do Amor. O domínio de si troca o caminho da morte pelo da existência da vida. A situação desesperadora do homem é superada pela recomposição de querer somente o bem e realizá-lo. As relações sociais são refeitas ao deitar abaixo as armações injustas e opressoras.
 

Agindo o Espírito de Deus, a pessoa já não está sob o domínio dos instintos perversos, mas sob o Espírito, pois quem tem o Espírito de Cristo possui o domínio de si [Rm 8: 9]. Nele se encontra o alimento da fé e a força para o testemunho.
 

Luiz Clédio Monteiro
Fundador da Rede Social Cristã
Site: http://doutrinacrista.ning.com/
Web: http://doutrinacrista.ning.com/profile/luizclediomonteirofilho
Blog [Doutrina Cristã]: www.cledio.blogspot.com
E-mail: Lcmf56@hotmail.com.






Tecnologia do Blogger.