Header Ads

A legitimidade da vida cristã.



A legitimidade da vida cristã.

[I ts. 2: 15a] “Estes mataram o Senhor Jesus e os profetas, e agora nos perseguem”.
Você já teve a oportunidade de ouvir a preleção de um impostor sobre a justiça e o amor de Deus? Nem queira. Eles são especialistas em leis, e, as interpretam de acordo com seus próprios interesses; exercem assim controle ideológico sobre quem o ouve, impedindo-os de ver as possibilidades de transformação pela conversão.

Não é qualquer um que consegue identificá-los, Jesus no seu caminho encontrou muito deles. 
Eles escondem suas malícias refugiando-se atrás de falsa religiosidade. Não foi por acaso que ao ensinar-nos a orar, Jesus mandou que pedíssemos além de outras coisas, que: “não nos deixasse cair em tentação” [Lc. 11: 4]. Essa tentação, não era sobre sexo, droga, defraudação trucidação [...] Não. Era uma tentação muito pior que essa; porque dessas nós podemos sair tão logo possamos nos arrepender. Mas Jesus se referia da tentação de cairmos na “conversa” dos hipócritas, pois nos confunde com veemência para nos afastar do caminho do Senhor. E, como vamos nos arrepender, afastados do caminho do Senhor?

A vida cristã é legítima, real e verdadeira. Porque Deus existe. E, Jesus é o seu Patrono Ressuscitado. Devemos nos acautelar do impulso de ouvir e andar com esses fariseus modernos que tentam roubar-nos a fé; e, ao mesmo tempo, estarmos preparados para sofrer ataques, maus tratos, provocações, ciladas, falsos testemunhos. Temos que encontrar coragem em Jesus para desmascarar essas estruturas injustas. “Porque tudo que em trevas foi dito à luz será ouvido” [Lc. 12: 3b]

A legitimidade da vida cristã consiste em ouvir a Palavra de Deus que age com eficácia, e, anunciá-la pela fé [v.13]. Assim como Jesus sofreu por causa dos judeus, como legítimos cristãos, devemos imitar as igrejas de Cristo que sofrem pelos seus patrícios [v.14]. 

Todos os que aborrecem a Deus são inimigos do Reino. Eles querem impedir-nos de pregar a salvação aos pagãos a fim de se converterem e formarem comunidades. Tal rompimento é que provoca oposições e perseguições, e é sinal de que estamos “imitando” a primeira comunidade de Jerusalém e o próprio Cristo [v.16].

“Se perseguiram a mim, vão perseguir vocês também” (Jo 15,20).

Luiz Clédio Monteiro 
Fundador da Rede Social Cristã
Site: http://doutrinacrista.ning.com/
Web: http://doutrinacrista.ning.com/profile/luizclediomonteirofilho
Blog [Doutrina Cristã]: www.cledio.blogspot.com
Tecnologia do Blogger.