Header Ads

A inquietação é a causa das desavenças.



A inquietação é a causa das desavenças.

[Fp. 4: 5] “Que a bondade de vocês seja notada por todos. O Senhor está próximo”.

Existirá algo mais agradável do que ter alguém com quem falar de tudo como se estivéssemos falando conosco mesmos? (Cícero). Claro que não. Mas aqui ali, se ver um irmão brigado com o outro. Sempre por coisas banais. Irmãos que amam o mesmo Deus e adoram o mesmo Cristo, lutam pelo mesmo Evangelho, necessitando de um irmão como Sízigo [companheiro de canga] para reconciliá-los como se fora de lado, Evódia [caminho fácil] e Síntique [encontro]. “Assim, meus queridos e saudosos irmãos, minha alegria e minha coroa, continuem firmes no Senhor, ó amados” [v.1]. Recomendo, pois que se reconciliem!

Mas as amizades reatadas requerem maiores cuidados que aquelas que nunca foram rompidas. (Le Rochefoucauld). Embora os nomes estejam no livro da vida, é preciso exercer com alegria e bondade os serviços para que todos sejam abençoados e Deus glorificado. Pois se de fato nós cremos que o Senhor Jesus está próximo de nós, então como havemos de ter coragem/fraqueza de pelejar contra um irmão, logo na presença do Senhor? [v.4-5].

A inquietação é a causa das desavenças. E, o motivo da inquietação tem sua origem na fala de oração. Como podemos ter serenidade se não apresentarmos com súplica a Deus as nossas necessidades? Como podemos ter paz para ultrapassar as ansiedades se não orarmos para que Jesus guarde nossos corações e pensamentos? [v.6-7].

Finalmente, como podemos amar nossos irmão e adorar a Deus sem que nos ocupemos com tudo o que é verdadeiro, nobre, justo, puro, amável, honroso, virtuoso, ou que de algum modo mereça louvor? Não podemos sentir a presença do Senhor, mesmo Ele estando perto, se não exercitarmos tudo o que aprendemos e recebemos como herança. Tudo o que ouvimos e observamos de Cristo, dos profetas, dos apóstolos. Só assim o Deus da paz estará conosco [v.8-9].

A nossa alegria [cristã] na salvação obtida por Cristo, é como um vinho novo. Deixemos, portanto que o mesmo envelheça um pouco. Então beberemos com deleite e testemunharemos, sobretudo pela bondade que se irradia para todos e pela tranquila confiança em Deus. Devemos ser fiéis ao que aprendemos dos nossos evangelizadores, mas também precisamos estar abertos a novas amizades sadias que encontramos na sociedade.

Luiz Clédio Monteiro 
Fundador da Rede Social Cristã
Site: http://doutrinacrista.ning.com/
Web: http://doutrinacrista.ning.com/profile/luizclediomonteirofilho
Blog [Doutrina Cristã]: www.cledio.blogspot.com
E-mail: Lcmf56@hotmail.com
Tecnologia do Blogger.