Liberdade e unidade.



Liberdade e unidade.

[Gl. 2: 4] “...os intrusos se infiltraram para espionar a liberdade que temos em Jesus Cristo, a fim de nos tornar escravos”.

Na luta para reconstruir o que destruímos, encontramos verdadeiras barreiras oposicionistas espionando a liberdade que temos em Jesus Cristo, a fim de nos tornar escravos novamente [v.4]. 

Entretanto não podemos lutar contra nosso próprio exército; a ordem então é encontrar uma forma que possa manter inabalável a nossa unidade como igreja e família [At. 15]. Assegurando que a nossa conversão permaneça nos modos da “Nova Aliança” e, nunca, jamais retrocedendo ao ensinamento e instrução do “olho por olho”; que consiste na rigorosa reciprocidade do crime e da pena — apropriadamente chamada, retaliação. 

A maior barreira, no entanto, não será o consentimento ou não da nossa liberdade em Cristo, mas, contudo, pelo medo de assim fazendo, venham a ser criticados ou ate mesmo perseguidos pelos mais radicais. 

A luta continua não podemos deixar esvaziar o trabalho evangelístico em virtude de divisões que possam desviar a identidade do sentido verdadeiro da caridade [v. 11-14].  

Para o crente que vive a liberdade da salvação, concedida e realizada gratuitamente como anistia, num ato de misericórdia de Deus, nenhuma força humana, nem mesmo a Lei dos livros Sagrados, tem o poder de arrancá-lo das mãos salvadora de Cristo [v.15-21].

Essa anistia proclamada na cruz chega até você no momento em que você acreditar, que, em Jesus Cristo, Deus realizou esse dom. Confiar em Jesus Cristo é colocá-lo no centro da sua existência, a ponto de poder dizer: “Já não sou eu que vivo, pois é Cristo que vive em mim” [v.20].]

Luiz Clédio Monteiro 
Fundador da Rede Social Cristã
Blog [Doutrina Cristã]: www.cledio.blogspot.com
        E-mail: Lcmf56@hotmail.com        
Share on Google Plus

About Doutrina Cristã

4 comentários:

  1. olá luiz, tudo bem?

    eu creio que a unidade é possível na diversidade; inclusive com pessoas de religiões diversas. afinal de contas, os "homens de boa vontade" estão espalhados por vários segmentos sociais e religiosos. a unidade só não é possível quando a diversidade é vista pelo grupo como ameaçadora à sua ortodoxia. aí não tem jeito, aquele grupo se fecha em si mesmo e nada que exista fora dele é considerado "ortodoxo" e sim "heresia".

    atos 15 que você cita no texto é um bom exemplo de unidade na diversidade nos primórdios da igreja cristã.

    abraços

    caminhosdateologia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Amigo Eduardo,
    Muito obrigado pelo seu comentário.
    Valeu

    luiz cledo

    ResponderExcluir
  3. Luiz Clédio, assino com o Eduardo.Nós "EVANGÉLICOS" (tô me esforçando pra me identicar com esse movimento ainda), precisamos nos despir das pregorrativas ensimesmadas de "O GUETO ESCOLHIDO DE DEUS", para sermos a comunidade que se une na pluralidade para o bem do ser humano.Unidade por unidade em si mesma, é vaidade e tentativa de "LATIFÚNDIO GOSPEL".Valeu meu mano, um abraço, Franklin Rosa

    ResponderExcluir
  4. Amigo Franklin, obrigado pela participação.
    abraço

    luiz cledio

    ResponderExcluir

Não use o silêncio como a melhor forma de dizer Aleluia!
Deixe seu comentário.
Ele é muito importante.
Obrigado