Burburinhos – o principal fruto das igrejas


Burburinhos – o principal fruto das igrejas

[ICo. 1: 2b] “... a todos os que invocam em todo lugar o nome de nosso Senhor Jesus Cristo...”

Desde os tempos de Paulo, já se salientava o aspecto da unidade para abolir o espírito partidário que ate hoje suplanta entre todos por todo lugar; é na família, na sociedade, no trabalho e principalmente entre as “igrejas” como pessoa nos templos. 

De miseráveis pecadores que éramos no batismo passamos a degradantes, menosprezando os menos afortunados; contemplando os mais prósperos.  Dr. Denis missionário da AD, diz que “o povo de Deus parece ser o único exército que mata os seus feridos”. Que pena. Horrorizamos [?] a morte de Cristo na cruz, no entanto estamos todos os dias O esquartejando num partidarismo humanizado [v. 10-13]. 

O Deus que nos chamou para a comunhão com Jesus Cristo, nosso Senhor, não é de confusão [v.9]. Nele não existe o dom do burburinho [agitação, conflito], que faz crescer o número de desviados. O único Senhor das igrejas é Jesus Cristo. O resto são irmãos, igualmente irmãos.

Copio um provérbio [18: 19] que diz: "O irmão ofendido é mais difícil de conquistar que uma cidade forte". Portanto, nada como se apresentar cordial e sincero ao seu amigo, irmão, líder, pastor, agradecido por todas as riquezas, tanto da palavra quanto do conhecimento recebido [de Jesus] pelo seu empenho [v.5]. 

 Um estímulo, franco, aberto, sempre evita qualquer pontinha de antipatia que possa está nascendo entre ambos. Porque “bondade em balde é devolvida em barril. [anônimo]”
Luiz Clédio Monteiro 
Fundador da Rede Social Cristã
Blog [Doutrina Cristã]: www.cledio.blogspot.com
 
Share on Google Plus

About Doutrina Cristã

1 comentários:

  1. Prezado Luiz Clédio,

    Graça e Paz!

    Que benção seu artigo.
    Se tais burburinhos não existissem, creio que nossos templos não caberiam, pois a evasão de cristãos das igrejas seria bem menor.

    Que possamos ouvir a voz do Espírito Santo.

    Parabéns e obrigado pela exortação.

    Um grande abraço!

    Seu conservo,
    Pr. Carlos Roberto

    ResponderExcluir

Não use o silêncio como a melhor forma de dizer Aleluia!
Deixe seu comentário.
Ele é muito importante.
Obrigado