Header Ads

Com quem eu vou comparar esta geração?



Com quem eu vou comparar esta geração?

Por: Luiz Clédio Monteiro.

Ultimamente as pessoas não se emocionam com quase nada. Já não são mais as mesmas de outrora que se exaltavam e suportavam tudo e todos por amor. Hoje falta compreensão, carinho, e, se, se apaixonam, o fazem por desejo e não por amor. E, quando Amam, traem. Casam-se, mas não convivem em conformidade. Julgam mas não perdoam. Assim: "Quem julga as pessoas não tem tempo para amá-las."

Se essa geração acredita na mediação de Jesus que dar ao homem a salvação misericordiosa de Deus. É demagoga, exigindo astuciosamente prestígio, status; por isto, de alguma maneira sente-se ferida pela igreja, justificando o abandono de um evangelho que nunca aceitara. Por outro lado, ela não acredita na estratégia de Satanás; sendo assim, os ataques demoníacos, guerras, crimes, injustiça, corrupção, não causa medo algum. Satanás é como uma ficção. Para essas pessoas, o evangelho não faz correr uma lagrima de arrependimento pelos seus malditos métodos; e, muito menos as desgraças fazem descer uma gota sequer de suor de seus rotos por temor ao inferno.

Jesus disse [Mt. 11: 16-17] - “Com quem eu vou comparar esta geração? São como crianças sentadas nas praças, que se dirigem aos colegas, e dizem: ‘Tocamos flauta e vocês não dançaram, cantamos uma música triste e vocês não bateram no peito’”. Jesus bate à porta do teu coração, mas ela não se abre para que Ele entre e seja fonte de vida. Sem essa abertura não se pode respeitar o sofrimento alheio, nem perceber que certos comportamentos são desagradáveis. Nada comove esse povo. Nem o opressor que comanda com injustiça; nem o líder que sabe fazer a coisa certa e pratica. Tudo o que querem é o melhor para seu bolso.

Para a esta atual geração, Jesus é ao mesmo tempo, a presença da salvação e do julgamento; quem não age com Jesus, torna-se um adversário de Jesus. Crer na vinda de Jesus e não obedecê-lo por não ver nenhum milagre [excêntrico] como sinal; e, ao mesmo tempo não observar a possível astúcia de Satanás, satisfazendo-se com as invenções do mal, condena o homem à sua própria morte.

A morte e ressurreição de Jesus é o selo da autenticidade da Salvação. Não ter este selo é ficar entregue a uma insanidade maior do que aquela em que se encontravam antes da sua vinda. Já o selo estampilhado no coração do homem, faz dele membro da família de Cristo. E, é nesta família que se aprende os ensinamentos de Jesus, para levá-los aos outros [futuros parentes].

É com esta família que se trilha o caminho da vontade do amor do Pai [para permanecer filho]. Desse caráter, se começa uma nova geração, distante desta geração indiferente. Assim, “se o amor é fantasia, eu me encontro ultimamente em pleno carnaval." (Vinícius de Moraes).

Jesus Cristo Filho de Deus [Evangelista] lida com os incrédulos; enquanto Deus [Pai] presta atenção aos seus filhos. Mas sobre todos, está o Espírito Santo do Pai e do Filho, levando sabedoria que instrui com misericórdia!
Tecnologia do Blogger.