Header Ads

Os Imortais.

“Agora que vos agradeço a escolha, digo-vos que buscarei na medida do possível corresponder à vossa confiança.” (Machado de Assis no discurso de posse no cargo de Presidente da Academia Brasileira de Letras, 1897). E, assim, foi criado a organização que possibilitaria a imortalidade exclusiva dos homens de letras e nenhum outro mais.

Diferentemente (na reengenharia espiritual), ao homem sem letra; ultimo dos últimos, pela fé (se ver escolhido por Deus para filho), declara em oração: “Eu aceito Jesus como me único e suficiente Senhor e Salvador. Obrigado por Tua graça e perdão e pelo o dom da vida eterna! Amém!” Com isto, perante Deus, a igreja como instituição seguidora de Cristo dar posse ao homem (convertido) para sua imortalidade. Diversamente se abre a todos quantos desejarem aceitar o Senhor Jesus como Salvador sem acepção, para membro imortal nas fileiras evangélicas.

A entrada de um homem na Academia Brasileira de Letras como imortal, representa para ele o reconhecimento perpetuo do seu empenho e dedicação na constituição da sua biografia literária. E, que sem ela não poderia faz parte como membro.

Enquanto que a conversão de um homem, para entrar no reino de Deus (como imortal), representa apenas o arrependimento de uma vida errante. Nada lhe foi cobrado ou exigido. Por que nada do que ele fez, foi, ou representa, influiria no seu ingresso. Se não, o próprio desejo de aceitar a Cristo como seu Senhor. O fato em si, é a fonte da boa nova, que fundada na liberdade gera novos meios apropriados de viver (Ex. 20), levando o convertido a uma vida espiritual eterna. E, muito mais imortal (verdadeiramente) que os membros da Academia Brasileira de Letras.

O membro intelectual da Academia Brasileira de Letras, é imortal por que jamais será esquecido pela Academia; ela o fará inesquecível pela sua obra. O crente, humilde convertido, é imortal por que jamais sua alma será sugada à solidão espiritual; Deus o fará irrepreensível pela sua misericórdia. Ele sempre o exaltará. E por justiça, qualquer palavra dita contra ele em juízo, ele a repreenderá (Isaias 54:17).

Estes imortais, vivem em extremos contrastantes. Contudo, entre ambos, Deus está presente de modo misterioso. Ao fiel se revela fiel; ao puro se revela puro; ao correto se revela correto; mas ao perverso se revela astuto. Cuida dos crentes, mas os seus olhos estão sobre os orgulhosos imortais (da ABL), para humilhá-los (2.Sm 22: 26-28) e, salvá-los. No entanto, Deus não interfere nas idéias ou formas das instituições literárias ou políticas, nem mesmo numa definida representação teológica (1Rs. 8,1-13).

De uma forma ou de outra, somos todos imortais; ou para a salvação eterna ou para a eterna condenação (Ap. 20).
Tecnologia do Blogger.