Arquivo blog: clediomonteiro.webblogger.terra.com.br

O dia do homem Vivemos os dias do homem e seu poder sobre a terra, justificando a permissão do Senhor de crescer, multiplicar, espalhar-se por toda terra, dominar com poder todas as coisas (Gn 1:28), e assim está acontecendo sem que Deus interfira. Acredito que quando Deus deu poder ao homem para dominar a terra, era para que nenhum outro “ser falaz” viesse “grilar” invadindo o que era Dele, numa atitude de integrar para não entregar. Mas, os seres do mundo dos espíritos vendo que a terra seria dominada pelo homem que embora fosse a imagem e semelhança de Deus, não procedia assim, chegou-se a ele com oferta mentirosas, e este por sua vez iludido, virou-se contra Deus, estando hoje em dia, em franco desafio com seu Filho que estando aqui para reivindicar o que é do Pai, foi brutalmente assassinado, mas ressuscitado, voltará atendendo a delusão dos céus. E o “impedimento divino” que poderia evitar a proliferação deste mau, equilibrando a situação em um estágio suportável, “foi removido”, e os seres falaz, fizeram-se “príncipes” e com eles, muitos enganadores entraram no mundo, levantando seus estandartes de rebelião sobre os louvores das nações neutralizando a verdade da igreja – as Escrituras Sagradas. A mentira ganhou espaço tradicionais, e retribui com sinais satânicos as maravilhosas mentiras da ilusão e da vaidade. O homem que era para ser o herdeiro da terra prometida, tornou-se para si mesmo um invasor, usurpador e adorador de fábulas onde a persuasão das “novas igrejas” subdivididas em grupos de negócios visando números, experimentam em toda parte uma expansão gigantesca de novos adeptos, partidários, sectários, admiradores que no afã de acompanhar as oportunidades emergentes da campanha movida pelo “evangelho da prosperidade”, se alistam para conseguir aumentar a eficiência e a flexibilidade de ganhar dinheiro, através de processos mentirosos bem definidos em motivação onde a fé é vendida baseado em informações, de pessoas que foram alimentadas com esses mesmos dados, e conseguiram realizar seus sonhos cobiçados de dinheiro e poder, enquanto os “líderes mentores” mostram para a platéia alienada como o objetivo será atingido neles. Enquanto a verdadeira igreja de Cristo revelando seu glorioso destino, prepara seu povo para uma vivificação em Cristo nos lugares celestiais através da ressurreição, um gozo que o tempo e as circunstâncias não podem abalar, o marketing satânico chama os infelizes a se alistarem financeiramente em suas fileiras com voto de se livrarem dos encostos diabólicos, ocultando nesse interino, o perigo de que, ao fazerem esta opção, tornam-se possesso do diabo, onde aparentemente não são mais perturbados “pelo encosto”, porque já estão dominados e não oferecem mais resistência ao Satanás. Jesus “oferece” uma vida eterna no Espírito que é dada aos que tem fé; enquanto o diabo faz “tráfego” de influência e domínio subornando com dinheiro e falso favoritismo. Não podemos ter tudo. Somos obrigado a fazer uma escolha de que lado ficaremos: do lado após à morte (para os que crêem), ou então do lado antes da morte (para a dissensão). A morte é o limite: sendo o fim para a dissensão e o começo para a crença. Neste meio tempo a mentira e seus adeptos congregam-se contra o “Nosso Senhor” ultrajando-o de “Nossa Senhora.” Ser amigo do mundo é ser inimigo de Deus.
Ir. Clédio Monteiro 2003-04-19 =
enviado por Clédio - Dio as 19:33:22. comentários[1]envie este texto para um amigo

O Dador de Vida

Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer (Jo 15:5). Milhares de pessoas, na insensibilidade espiritual, vivem esperando que o mundo na sua indiferença, atente para suas ansiedades. Essa fraca esperança é inútil, decepcionante e sofrida, pois na cegueira em que vivem, nunca sonharam em obter de Cristo o que o mundo tem lhes negado. Mas, os que ouviram... e creram... encontraram Cristo com o coração e proferidos cristãos, tornaram-se limpos numa união vital com o Senhor e confiaram no poder de Cristo em conceder o físico e o espiritual, imediato, completo, exuberante, e descobriram que cada uma de suas necessidades, é um apelo no coração de Cristo; que Cristo vendo suas tristezas, quer servi-los em sua perfeita sujeição ao Pai, e dependência para fazer as obra de misericórdia. O Pai e o Filho operam compaixão incessantemente num mundo cheio de pecado e sofrimento. Quem ouve... e crê... tem... também o consolo do Espirito Santo! E não devem mais esperar do mundo um tratamento melhor do que Cristo recebeu. Quem crer pela experiência de outros não é tão positivo como crer por experiência própria. Comprove você mesmo a verdade da natureza e do valor da “videira” manifestada na “vara” e transborde em louvor e adoração por ser a revelação da dependência de Cristo.
Ir Clédio Monteiro 2003-05-31 =
enviado por Clédio - Dio as 19:33:00. comentários[0]envie este texto para um amigo

No culto ao Senhor

Num igreja qualquer está sendo ministrado um culto dominical. Aos olhos do povo, literalmente é mais um compromisso religioso para pessoas religiosas que ouve falar de Deus em vão. Espiritualmente é um encontro eclético relevante dos que foram tocados pelo convite do Espírito Santo para a bem-aventurança e aceitaram. O culto que mais parece um embate para alguns, procura harmonizar diferentes correntes de pensamento onde os que vieram agradecer as bênçãos alcançadas, e outros, louvar ao Senhor, estarão lado a lado com os desassossegados, os receosos, os obcecados, os vencidos, os incompatíveis com a sociedade, os indomáveis; que, na presença do Senhor Jesus ali manifestada, sentirão atraídos pela graça e compaixão do Senhor e ao mesmo tempo repelidos pela santidade que reprova as impurezas. O culto de louvor ao Senhor prossegue e os espíritos imundos são reprovados imediatamente; os perdidos passam a respeitar a presença do Senhor; os possessos confessam e se apressam para retirar-se; os curados testemunham aos seus; os miseráveis suplicam o perdão. Muitos corações irresolutos entram em pânico por indecisão; enquanto outros recorrem ao Salvador poderoso em prece. Uma grande sensação de liberdade está envolvendo os oprimidos; em fim, em meio a toda esta transformação encomiástica, os obedientes, por submissão à autoridade legítima do Senhor, sujeitando-se ás críticas dos hostis (que camufladamente estão presente, e que embora no passado tenham sido tocados a participar das felicidades do Céu, usaram de contendas e agora gananciosamente fazem parte de uma insurreição silenciosa já conhecida do Senhor), vão à frente e em meio a todos, declaram o Senhor Jesus Cristo como seu único e suficiente Salvador. Nas esferas celestiais o exercito do Senhor que tudo via e assistia, explode num brado uníssono de vitória pelas almas que foram alcançadas pela fé das suas próprias declarações e imediatamente são “registradas no livro da vida” como novas colunas do templo do Senhor de onde jamais sairão. O homem pastor que os recebera lá na frente, na congregação, vestido em perfeito juízo de veneração (se é que alguém pode obter tal coisa na presença do Senhor!), agradece em oração a Deus em nome de Jesus por ver passar o desassossego, a veemência predileta, as paixões impetuosas, a vergonha dos pecados declarados; e porque a nudez espiritual de todos ali fora descoberta. Sabemos que as pessoas padecidas que ali estiveram nunca mais serão as mesmas pois em dado momento o poder operoso do Senhor lhes deu a semente da “paz-de-alma” que somente os inofensivos e pacíficos tem. Enquanto isso, lá fora no mundo caído, onde Satanás é seu príncipe, indiferentemente estão os que delicadamente rejeitaram o convite de Cristo por meio do Espírito Santo e com certeza verão o diabo ficar. Vamos orar incessantemente para que numa outra oportunidade, quem sabe, refletindo com o coração, eles ouvirão o gemido do chamado do Espírito de Deus para um encontro de portas abertas com Cristo que não só é o caminho, mas o único caminho para às colunas do templo de Deus que existem perpetuamente. Amem!
Ir Clédio Monteiro 2003-06-09 =
enviado por Clédio - Dio as 19:32:24. comentários[0]envie este texto para um amigo

Denúncia:

A Igreja está expulsando suas ovelhas! Denis M. de Oliveira, Jornalista, Bacharel em teologia e Missionário pelas Assembléias de Deus, disse em sua crônica “Monotomia Litúrgica” que falar a verdade nunca foi pecado. Nem a bíblia escondeu o pecado de Davi! Ele relata, acredito que com muita tristeza - que o principal fruto que as igrejas tem conseguido é magoar as ovelhas e fazer crescer ainda mais o número de desviados. E que no convívio interno de muitas igrejas, nem todos são considerados valiosos só porque é "irmão". A aceitação social é concedida com bastante cuidado, na certeza de menosprezar os que não atendam seus interesses. Nem todos são considerados dignos, nem todos são aceitos. Pelo contrário, reservam seus elogios e admiração para alguns poucos escolhidos que foram abençoados com características que consideram de alto valor (leia-se dinheiro). E diz: É um sistema perverso e eu acrescento que isso fez da igreja humilde uma igreja humilhante. Afirma ele que a arcaica e pobre motivação da igreja limita-se aos retiros e excursões. Onde o poder aquisitivo da maioria não atende aos convites de passeio da igreja. Resultado: Quem tem dinheiro vai, quem não tem, fica. E que a igreja parece viver um momento de cada um por si e Deus por todos! E que o amor, ingrediente indispensável em qualquer convivência, não transmite mais o seu calor no meio de muitos evangélicos (cristãos?). Continuando afirma que, vive-se muito em prol de si mesmo. As convenções e reuniões são realizadas a portas fechadas. Ao meu ver faz com que os demais membros perdem o elo primordial da unidade cristã muito bem dito por ele. Na mina concepção, vejo que a Igreja está “humanizada” no sentido materialista que de igreja móvel que era, passou a ser igreja mobiliária, patronal. Como no mundo tudo se transforma rápido para não cair de moda, da mesma forma a igreja está em busca dessa metamorfose emocional que segundo Dr. Denis, só encontra regozijo quando vem um pregador de fora com testemunho extravagante como do tipo "já matei mais de mil", e fora esses espetáculos, a igreja volta se arrastando aos seus “Domingos Eternos”. E que nesse clima parece não haver muito incentivo para manter na igreja, as almas que estavam perdidas no mundo, que por misericórdia converteram-se. Eu não vejo mais evangelismo pessoal onde o crente distribuía folhetos e o que se ver nas ruas ressalva Dr. Denis, são pessoas que já foram cristãs. Cada um explica-se em mágoas. A maioria contesta a maneira como a igreja lhe abordou. Dr. Denis diz também que o irmão caído dificilmente é procurado para uma ajuda, um conselho. E que é bem mais fácil "dedurá-lo" ao pastor. Essas atitudes são tomadas pelos santões, puritanos, que reservam em segredo seus pecados ocultos. Atitudes essas que jogam centenas de almas no mundo diariamente. Menciona Dr. Denis, que o povo de Deus parece ser o único exército que mata os seus feridos. "O irmão ofendido é mais difícil de conquistar que uma cidade forte". (Provérbios 18:19). A outra frieza denunciada pelo Dr. Denis, é como a igreja trata o sofrimento de alguns irmãos que quando vão ao ministério pastoral numa contestação, parece ser mais fácil para o pastor se ver livre do caso atribuindo ao irmão a tirania da provação, e simplesmente diz que "depois isso passa!" É triste mas, Jeremias previu tudo isso em seu livro. Finalizando nos diz que é por isso que há um grande número de desviados da igreja. E espera que a igreja do Senhor Jesus neste próximo milênio tenha mais amor ao seu próximo. Compilado e comentado por Clédio Monteiro 2003-05-10 =
enviado por Clédio - Dio as 19:31:14. comentários[0]envie este texto para um amigo

SLZ 26/04/2003
Minha Filha amada Dandara!
Tu me foste dada pela graça de Deus. Recebi sua carta. Adorei saber que está com saudade, eu também estou. Nosso telefone estava com ‘defeito financeiro’, mas já está recuperado. Fizeste bem em mandar a carta pelo correio, assim ficou mais chique e valorizou nosso amor. As finanças, apesar de tudo, estão se aguentando, pois estamos equilibrando a balança de pagamento contendo todas as despesas (por isso é que ainda não fui até aí), numa economia de pós-guerra acredito que mais um pouco, e estaremos já navegando em águas mais tranquilas e de certo que estaremos comemorando juntos. Espere um pouco mais. O ‘papai’ Rafa, está curtindo aquela vida de casado e seus devidos problemas, mas recheada de alegria de poder amar o Jpzinho e sua mulher (imensa), ele está se saindo bem. O teu irmão Bruno, ainda não conseguiu um emprego e isso está me preocupando um pouco, mas ele está sabendo esperar com resignação enquanto faz um concurso aqui outro ali no fim, vai dar tudo certo. As vezes, não fazer alguma coisa pode ser tão eficiente quanto fazer. Acredite. A mamãe Mariana está com fé e coragem, ela enfrenta tudo de cara melhorou muito e já usa a humildade como ninguem, vejo dias melhores na vida dela. Aleluia. Eu pessoalmente, não me sinto abalado, acredito no meu potencial sinto-me mais confiante do que nunca e tenho a convicção de que não estou só nessa parada, tenho o Senhor comigo o carinho e o amor de vocês, e não é por causa da oposição do mundo que vou me sentir vencido, pois as objeções enobrecem nossa vitória, e como sempre fui um vencedor, vencerei mais essa e outra que vier. Tenho a convicção de que sou responsável pelas minhas próprias decisões, cabe a mim, somente a mim, decidir se a suposta crise irá ou não afetar meu rendimento profissional, meu relacionamento pessoal, em fim minha vida. E se eu recusar, o Senhor não terá prazer em mim. Minha filha Danda, vc é uma bênção para mim. Eu te amo muito, sua mãe (ciça a quem mando um forte beijo no coração e também em Marcela e PP) também te ama. Olha, tem algumas pessoas (em especial o nosso namorado!! É duro) ao teu redor que precisa te ver sorrindo, te ver feliz, alegre e com muitos projetos mesmo que ainda sejam sonhos. Há razão maior do que esta para viver? Alias sonhe muito, muito mesmo não pare de sonhar, sonhe sempre e nele seja uma vencedora, tenha seus pés no chão, mas a cabeça nas estrelas. Não estou falando de ser vaidosa, mas de desejar prosperidade (eu adorava tuas vaidades, atender teus caprichos... deixa pra lá). Tudo que acontece na sua vida tem dois lado, como toda história tem dois lado. Veja sempre o lado do bem. Veja como as coisas possam fluir em seu favor e veja sempre a natureza boa das pessoas, nunca o que elas tem de ruim pois isso não serve de nada pra ninguem. E não fique triste com esses sentimentos de desesperança e fraqueza que as vezes te assola, isso é apenas medo e medo é um pensamento e pensamento a gente pode remover trocando por um outro mais bonito e positivo. Pense sempre positivo e veja o medo como um conselheiro que vai te lembrar que está na hora de trocar de pensamento e sonhar grandes sonhos. Lembre, vc será aquilo que sonhou em toda sua vida. O Senhor nos ordenou que crescêssemos e nos multiplicasse, então por determinação divina, somos um multiplicador, portanto tudo que fazemos, é multiplicar: multiplicamos bons pensamentos ou maus pensamentos, multiplicamos tristeza ou alegria, multiplicamos sonhos ou desilusão, multiplicamos amor ou desamor, multiplicamos as vitórias ou as derrotas, a fé ou o medo. Assim como a tristeza traz desânimo, da mesma forma o contrario é verdadeiro: onde tem paz e alegria tem felicidade, ventura, bons resultados. Seja alegre e de cores vivas e brilhantes como são seus olhos (saudades eternas saudades). Tristeza não põe mesa, contentamento é uma festa. Não tente compreender a vida, ela é uma dádiva de Deus e não cabe a nós entende-la, mas sim, vive-la com muita intensidade e confiança. Confie em vc sempre, desta forma, não terá a dor desagradável e penosa de esperar nos outros. Quem fará melhor para vc do que vc mesma quando está com sua própria verdade e razão? Lembre, Deus sabe o porque de vc está neste mundo e ainda te capacitou para isto, encontre-a dentro de vc e multiplique essa capacidade. A vida pode se tornar um fardo muito pesado quando nós achamos que temos que resolver todos os grandes problemas que se apresentam ou que achamos que virá, porem, ela pode ser uma cruz na media certa, quando nós deixamos confiante os grandes problemas para Deus, e procuramos resolver os pequenos problemas cotidianos que estão ao nosso alcance. Não podemos andar 1000m sem darmos o 1° passo. Dandinha, veja, disseram que nossos átomos se renovam a cada 45 dias, é, então vc é a cada 45 dias, uma nova pessoa. Já pensou nisso? Você renovada a cada 45 dias? – mais agradável, com mais brilho, mais linda, com mais habilidade, mais corajosa, com mais inteligência sim porque quem tem medo, tem inteligência, pois o medo também serve para aguçar nossa mente para encontrar soluções inteligentes para cada problema. Por isso, é que as coisas mudam e a gente imagina que elas acabaram rápido. Nós é que mudamos. Dandy minha filha, vejo que vc deseja ser uma mulher (mulher?!) corajosa destemida, mas coragem, nada mais é, do que saber compreender o medo quando ele vem e não, a ausência de medo. O medo sempre vira, mas é como falamos a pouco, é apenas um pensamento. Procure entender esse pensamento como sendo uma alerta falsa ou verdadeira e veja se procede. Ex.: As vezes temos medo de amar porque no amor, tem-se o risco da perda e a necessidade de se reaprender a viver sem este amor. Não é um perigo? Mas se vc aceitar este medo, vc vai acabar perdendo uma grande possibilidade de ser feliz. Lembrou de que tudo tem dois lado? Então nunca acredite no que o medo lhe disser. Analise primeiro, o medo irreal é diabólico portanto, falso e tudo nele é engano. O medo é o veneno da fé. O medo nos impede de ver o futuro tornado o presente um desagrado, sem valor. Porque se não gostamos do que vemos por medo, como iremos acreditar no que não vemos? O presente não é o fim de tudo, mas o meio pelo qual chegaremos ao destino sonhado, haja o que houver seja como for. Então o presente não necessariamente deve ser bom, excelente e confortável, quando nosso sonho, nossa meta ainda está por vir. Não importa se teu presente esteja sendo inferior ao passado e tudo mais, o importante é que ele seja mil vezes pior em comparação ao teu futuro. Entendeu meu amor? E se teu passado foi bom e sei que foi, não lamente, agradeça, pois, ele é a sustentação deste presente, mas não deve ser a razão dele (como também acontece comigo). O passado te alimenta no presente para que vc alcance o futuro. E lá estaremos todos juntos novamente. Seja uma consultora de Jesus, e faça dele o Senhor de sua vida e Ele lhe dará sabedoria, sim sabedoria para vc usar bem a sua inteligência, porque do que adianta se ter inteligência se não temos sabedoria para usa-la. A inteligência vc encontra na escola, mas a sabedoria, somente terá quem pedir ao Senhor Jesus. A Ele foi dado toda sabedoria e poder no céu e na terra, qual a diferença entre sabedoria e inteligência? Bem, a inteligência ensina a fazer, e a sabedoria ensina como usar melhor o que foi feito. Todos os nossos sofrimentos é uma prova da ausência de sabedoria. Danda, vou finalizar com muita saudade, mas tranquilo porque sei que vc é uma vencedora. E lembro a vc o que vc me disse um dia: “A única porta que não se abre é aquela em que não se bate.” Eu não esqueci. Viu? Alias, eu não esqueci de nada que conversamos e realizamos. Beijos do teu pai que te ama muito, Clédio PS – Danda, em Romanos (8:18;28-39 - NT da Bíblia) diz: Pois tenho para mim que as aflições deste tempo presente não se podem comparar com a glória que em nós há de ser revelada. E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos; e aos que predestinou, a estes também chamou; e aos que chamou, a estes também justificou; e aos que justificou, a estes também glorificou. Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como não nos dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica; Quem os condenará? Cristo Jesus é quem morreu, ou antes quem ressurgiu dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós; quem nos separará do amor de Cristo? a tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por Jesus que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem principados, nem coisas presentes, nem futuras, nem potestades, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor. Danda, leia este livro, ele é considerado a catedral da fé.
Beijos Clédio.
enviado por Clédio - Dio as 19:30:41. comentários[0]envie este texto para um amigo

Hábitos Irracionais

O Senhor, que nos tirou da dependência dos incrédulos, para uma vida de fé numa herança eterna, ver este evento vacilar nas mãos destes seus filhos. Se a fé em Deus por Cristo foi instantânea em seu surgimento, viver nesta fé entretanto tem sido um fracasso atras do outro para o crente. Como num efeito sanfona, o crente encolhe sua fé em tempo de aflição depois de apurada no trajar das bênçãos recebidas nos bons tempos venturoso. Na aflição, o crente agora questiona consigo mesmo se Deus realmente merece toda sua confiança quando promete livramento, com isso surge o medo de Deus não ser capaz de prover naquilo que Ele chamou de promessa, e em seguida vem a falha de tentar achar uma solução rápida e então submete a promessa de Deus ao seu estilo prático. Assim, a impaciência adaptada substitui a perseverança no comprimento do voto através de hábitos irracionais comprometendo a segurança da fé tornando a situação grave em renovar o compromisso devido a Palavra de Deus, ajustada nas circunstâncias humanas. A despeito disto, no momento da pressão, quando a própria segurança encontra-se emeaçada, é que o crente através de oferta de louvor, alcança a misericórdia do Senhor e a promessa mais uma vez é renovada. É neste hábito de andar na fé com dois passo para frente e um para traz que a obra vai se aperfeiçoando com maturidade onde os anseios e temores cooperam como “provações” que, quando enfrentadas com fé, aperfeiçoa a perseverança para instruir, e completos, não faltam em coisa alguma (Tg. 1: 2-4). Neste misto de progresso e fracasso irracional onde a ventura e o malogro andam lado a lado, não estamos isentos das tentações em compartilhar no conflito da fé com a incredulidade na Palavra imutável de Deus, e nem mesmo de recairmos na mesma tentação. Embora assim demostramos falta de fé, o Senhor continua fiel – “porque não pode negar-se a si mesmo” (2 Tm. 2:13). E se vamos trabalhar resolutamente na solução do problema à nossa própria maneira, que seja produzindo os melhores e necessários resultados enquanto guardamos com sabedoria a semente prometida do livramento, usando os erros para enriquecer o conhecimento; e com a mesma atitude resoluta não devemos contestar quando calmamente o antagonista declara possessão sobre o que acabamos de perder na batalha, e nem do amanhã, pois ele não pertence a nós para darmos a outrem, e tão pouco é nosso para conquista-lo, contudo podemos crer que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam ao Senhor (Rm. 8:28). Somente pela perseverança da fé, é que conseguiremos alcançar as promessas de Deus, as quais, não podem ser barganhadas e nem herdadas de outra maneira mesma que pungente. Viver com fé é uma preciosa confissão de amor voluntária, silenciosa e poderosa que diz – “terei bom êxito, conforme o Senhor prometeu”, pois quem tem fé, tem grandeza de ânimo, é benigno, complacente, indulgente, corajoso, generoso, paciente, resignado...
Ir. Clédio Monteiro 2003-05-04 =
enviado por Clédio - Dio as 19:30:17. comentários[0]envie este texto para um amigo

Extensos Contrastes

"Me ame quando eu menos merecer, pois é quando eu mais preciso." (Prv. chinês) O fracasso do crente representa o sucesso de Deus, que trás prosperidade até aos pagãos e mostra sua grande misericórdia, seu infinito amor que não deseja que ninguem passe necessidades, mas encontre Nele o perdão e a vida. O sofrimento do crente testemunha ao pagão, sua fé no Pai, e ao mesmo tempo, proporciona a quem quer que seja, oportunidade de exercerem sua gratidão com Deus, socorrendo-o. No final a mão de Deus o livrará e o fará prosperar. Deus sempre ira preservar a vida do crente a despeito das tribulações e injustiças que enfrenta e por meio delas. Não importa em que mão sua vida esteja colocada. O mundo sempre utilizará o crente como prova contra ele, devido o amplo papel que ele desempenhará no progresso da futura nação do Senhor. A princípio, na conversão do crente, ele revela atitudes que contribuem muito para uma amarga rivalidade fazendo com que o mundo a simbolize como uma prova de sua “morte”. Denunciado pelas coisas erradas que faz, o mundo senti-se rejeitado pelo crente e passa a dispensar um tratamento injusto de tal maneira que, perseguido o crente as vezes testemunha que “estaria melhor morto.” Estes episódios entretanto servem a duas funções importante. Primeiro porque relata um comportamento original contrário ao que o mundo conhece do “bateu-levou.” Segundo e mais relevante para o crente, proporciona um agudo contraste entre o caráter do pagão que depende de si mesmo e do cristão, o qual olha para Deus que governa soberanamente seu destino. Enquanto um abandona Deus por escolha, o outro por amor ao Senhor, é feito como ovelha a caminho do matadouro; enquanto um voluntariamente se associa às influências diabólicas, o outro resisti a tal tentação; um se envolve em imoralidade sexual vitimando mulheres indefesa, incorrendo no juízo de Deus, o outro não se dobra à carne, e sendo vítima de falso testemunho o Senhor no final preserva seus interesses. Vendo que o caráter de um cristão é invencível na provação, o mundo usa estratégia de insurreição invejosa sarcástica, infiltra-se nas igrejas com finalidade de desmoralizar seu conceito espiritual e assim, arrancar-lhe o símbolo do favoritismo do Pai, sua semelhança, um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional (Rm. 12:1), e sem conhecimento, vendem a fé no comercio da falsa prosperidade num verdadeiro fanatismo. Uma mudança irônica que transforma a imagem das ovelhas do Pastor em verdadeiros lobos que saqueiam as finanças das famílias inseguras. Mas o Senhor está com sua igreja, e mesmo aqueles que foram seduzidos, percebem suas prosperidades crescerem dramaticamente como resultado da confiança e assim, o Senhor reitera o fato de que todas as coisas estão em suas mãos, transformando a farsa do diabo em bênção para os novos crentes. Salvos do prejuízo, os noviços devem agora considerar como mordomia, as responsabilidade na função dos ministérios da igreja e assim o Senhor proverá em tudo. As tentativas de sedução maléficas, no entanto, continuarão e chegarão ao clímax no dia em que não houver mais nenhum crente na terra para denunciar os satanases, restando somente os indecisos (que tiveram previas experiências de vitória na carne no passado), rodeado de gente incrédula sujeitos aos assaltos do Diabo. Perseguidos, oprimidos e escravizados são privados dos afetos de seus queridos que foram arrebatados com a igreja do Senhor. Mas, esses são os que verão o Senhor vir em glória para derrotar o Diabo e governar por mil anos na terra (Ap.). E viverão na presença do Senhor e se acostumarão a contar com a aprovação divina em tudo que fizer, porque a preocupação deles agora não mais serão com as pessoas que o rodeiam, mais com o próprio Senhor Jesus. O Crente é em muitas coisas semelhante a Jesus: o amado do Pai, o melhor dos irmãos, o mais odiado e rejeitado pela sua família; vendem suas oportunidades, sofrem grandes tentações sem pecar, as vezes é rebaixado e acusado falsamente, mas em fim perdoa até seus “assassinos” e, em tudo é o filho e a esperança do Pai.
Ir Clédio Monteiro (baseado em Gn. 37-39) 2003-04-20 =
enviado por Clédio - Dio as 19:29:30. comentários[0]envie este texto para um amigo

SLZ, 31/05/2003
Danda-zinha, minha filha querida;

vc é a bateria do meu celular! Estou vendo que aquela menina cresceu e amadureceu e agora já ver coisas que uma criança não podia ver, já sabe de coisas que na infância nem pensava que existisse e espere um pouco mais e veras mais coisas, muitas coisas virão entre elas, coisas boas e más, porem de tudo, fique com as boas para imitar e quanto as más, que seja somente para impedir como exemplo de sofrimento corporal ou moral. Interessante, somos na maioria das vezes correto com nossas coisas somente pelo fato de termos medo da punição e não por sermos pessoas de boa índole. Isso significa que ainda estamos aprendendo através do sofrimento da ameaça e não do amor como deveria ser. Minha filha, quero te dizer que a tua ajuda já é real em minha vida, verdade sou muito feliz quando lembro de vc, vc me deu muito amor e sou grato por ter sido escolhido por vc para ser seu pai. Olha Danda, sei que o momento é de muito reflexão e as dúvidas são conseqüências de tantas perguntas; é normal num processo de seleção da personalidade. Mas, uma coisa quero acrescentar em tudo isso: sempre que fores fazer alguma coisa, algum teste, alguma prova, sempre que estiveres em uma encruzilhada e que vc terá que escolher, lembre sempre de quem já esteve em situações semelhantes ou pior do que a sua e que por perseverança e obediência venceu todas as provas tentadoras deste mundo. Fale com ele, ele se chama Jesus, um homem simples que só tinha uma roupa, não tinha a onde dormir, comia nas casas alheias, andava a pé, pedia água para beber. Ele tinha um reino e abril mão de tudo por amor dos outros “para poder entender tudo”; fale com quem sabe dar mais do que conselhos, fale com quem deu o maior exemplo de amor com humildade, fale com Jesus, Ele é especialista em combater crises de manifestações violentas de sentimentos e em tempos difíceis como os de hoje transfere toda sua atenção para te ajudar nas decisões que irão te salvar das maledicências desta vida, basta tu confiares nele e ele prontamente te responderá com prazer. Jesus me deu a graça de escrever em um dos meus artigos intitulado “O Tripé” o seguinte: “Portanto a melhor estratégia para atravessar uma crise segundo a opinião de quem já viu obstáculos e passou por eles, a saber Jesus Cristo: é deixar-se levar pela voz suave do Mestre que orienta-nos a buscar primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e consequentemente todas as coisas nos serão acrescentadas (leia Mateus 6). Não se preocupe com o resultado do seu trabalho. Se você cuidar primeiro dos interesses de Cristo, todo o resto vai se arranjar. Você precisa entender o que Cristo quer de você e seguir o que Ele quer que seja. Portanto, não sacrifique seu futuro vital de salvação, por um presente provisório paliativo. Por que da mesma forma, que é um erro supor que o bem está econômico dura para sempre, também é um erro imaginar que o ciclo das bênção terminou e agora os maus tempos vieram para ficar. Ir Clédio Monteiro em 2002-11-12” Então filhinha, deixe Jesus te moldar do jeito que ele quiser e tenha a certeza de que vc estando com Ele (e comigo) “para o que der e vier” a reciprocidade será verdadeira. Amem? Amem! Eu te amo Dandara Balby Araújo (Monteiro...) em espírito com Deus e na verdade da vida que transforma o nada em tudo e o tudo em quase nada porque maior é o nosso amor do que o que existe em todo mundo. Uma corda de “três” pernas é mais difícil de se romper. Um abraço e um beijo na singela mamãe, um cascudinho com um cheiro na “Maxelinha”, um beliscão no “Pedão”, um tapa no cachorro, um pisiu no papagai. A sim, muitas esmagadas nas baratas também, embora o Pedro não goste. E pra vc meu anjinho entendido na visão - seu paizinho Clédio bem pequenininho que cabe no seu bolço deseja que todos os gemidos inexprimíveis deste mundo seja a TEU FAVOR.
By Clédio enviado por Clédio -
Dio as 19:29:02. comentários[0]envie este texto para um amigo

Cláusulas Pétreas

Possivelmente Pétrea, venha do adjetivo ‘Pétreo’ que quer dizer, ter a natureza ou resistência da pedra. Mas no meio jurídico, isso tem haver com os termos constitucionais que não podem ser mudados em hipótese alguma. Ou seja algumas leis básicas não podem ser mudadas, são pétreas. Isto nos lembra quando Jesus se submeteu ao batismo, comprometendo-se numa aliança de fidelidade e obediência ao Pai que culminaria com a morte na cruz pelo pecado da humanidade. Ele fez de sua vida uma lei Pétrea que jamais por sua própria vontade seria mudada. Por essa cláusula pétrea, Ele foi ungido publicamente pelo Espírito Santo, acompanhado por um pronunciamento ao vivo do Senhor Deus Pai, que falava do céu (Mc 1:10-11). Pétrea, também deve ser a convicção do homem que se identificou com Jesus e o aceitou como seu Salvador, para rejeitar a tentação de servir a Deus nos termos definidos por Satanás, e em anular a sedução de fazer as coisas da “maneira mais fácil” porem, do modo de um homem que crer, seguindo a vontade de Jesus que é obedecer a Palavra de Deus na Bíblia. Sua total submissão às Escrituras Sagradas e à vontade de Deus, será a cláusula pétrea do acordo firmado por ele, mesmo que no final isto o leve a ser abandonado pelo mundo inteiro como Cristo o foi na cruz. É pelo nível de rejeição que o mundo dispensa a ti, que tu poderás saber o quanto eis amado por Deus. Porque todos os “mortos”, vivem para Deus. E lembre-se, não odeias os que riscaram o teu nome pois, eles são apenas criaturas influenciadas pelo inimigo de Cristo, a quem tu amas. E por isto, teu nome está escrito no céu, assim, verdadeiramente saberás que esses que te excluíram são salváveis na medida que tu mesmo os alcançares para Cristo através do teu exemplo “pétreo” onde quem nele bater, se quebrará e sobre quem ele cair, ficará feito pó (Lc. 20:18), pois, quem é de Cristo, quebra e esmaga todo poder opositor para um “depois” na comunhão com Deus. Ser, é uma coisa. Está, é outra. E Deus, sonda tudo isto.
Ir. Clédio Monteiro 2003-02-26 =
enviado por Clédio - Dio as 19:27:55. comentários[0]envie este texto para um amigo

Casa de Oração

Quando atendemos ao apelo de Cristo, percebemos o fato das circunstâncias atuais modificados, considerados em relação a anterioridade à natureza da conversão onde a deliberação prova o melhoramento das práticas posteriores. Essas circunstâncias se dar com o crente da mesma forma como Cristo purificou o templo conforme podemos ver em Mateus 21:12-16. Nosso corpo é o templo de Deus, e Cristo é quem o limpa de toda mácula, santificando-o com sua presença do espírito para o físico por meio da alma. O esmero da fé do recém convertido, momento em que ele expressa seu entusiasmo com a chegada de Cristo da mesma forma como os cristãos fizeram naquele Domingo que antecedeu a páscoa – quando clamavam: “bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas!” (v9), recebe como primeira providência revolucionaria, a depuração do seu corpo com a expulsão de todos os espíritos corruptos que não só vendiam sua estrutura cadavérica (sim porque um corpo sem Deus não tem vida), como também compravam impurezas que contaminava-o moralmente – (v12) “Então Jesus entrou no templo, expulsou todos os que ali vendiam e compravam...” Repreendida biblicamente as ervas daninhas que embaraçava a vida do recém convertido, Cristo agora vos declara como sendo uma casa de oração - (v13) “A minha casa será chamada casa de oração”; por meio do qual Cristo tem uma palavra de poder para todos os que necessitam com fé, porque a fé honra a Deus e assim, (v14) “Chegaram-se a ele... cegos e coxos, e ele os curou...” Embora Jesus tenha vindo a nós o “vosso reino” e em nós, tem feito a sua vontade, somos semelhantemente desprezados por muitos assim como o Senhor também foi - (v15) “Vendo, porém, os principais sacerdotes e os escribas as maravilhas que ele fizera... indignaram-se” Porem em nós, Cristo será exaltado em louvor e adoração e amado como pelos inocentes – (v16) “Da boca de pequeninos e de criancinhas de peito tiraste perfeito louvor.” - Hosana ao Filho de Davi! “Graças te dou porque me ouviste, e te tornaste a minha salvação” (Sl. 118:21).
Ir. Clédio Monteiro 2003-05-28 =
enviado por Clédio - Dio as 19:27:20. comentários[0]envie este texto para um amigo


Aquiescência

É verdade que a sabedoria anda em busca dos humildes (Pv. 11:2), contudo é preciso que ela seja procurada uma vez que boas intenções não bastam, é preciso agir. A sabedoria traz consigo a obediência em ceder espontaneamente, anuindo ao temor de Deus para obter o conforto do Espírito Santo. Neste temor encontramos o conhecimento de Deus que é a revelação de Cristo em nossa vida. Esta revelação traz o entendimento que é a substância da sabedoria que nos guarda das investida impetuosa dos maus espíritos. Outrossim, aplica a virtude da equidade que consiste em sabermos usar a justiça natural de dar ou deixar a cada um o que por direito lhe pertence com igualdade e retidão. Assentido pela sabedoria a alma tem conhecimento exato e racional de coisas determinada que nos impede de pecar e traz suficiência para livra-nos do perecer fazendo-nos chegar na remitência do pecado que nos leva ao consenso da reconciliação, ato este, que desbarata o ente que Deus mais abomina, que é a contenda entre irmãos e nos leva a andar em novidade de vida pois é no andar com Cristo que sabemos que nossos pecados estão perdoados. Sejamos justos nos preceitos com os que precisam de entendimento porque ele não foi revelado somente para nós, e não havendo de julga-los por nada, pois as provações são tremendas e por mais que lutem contra suas fraquezas, e apelem para uma forma espiritual pensando que sua causa é a causa de Deus e seus inimigos os inimigos de Deus, as recompensas são ciladas ocultas e não produz na alma o efeito esperado, porque manifestam de modo imperfeito, espíritos de tradições passadas para triunfo de retidão e não o de Cristo medianeiro da justiça divina no mundo. Oremos de joelho para vindicar ao Altíssimo que defenda com salvação suas criaturas momentaneamente embaraçados nessas lendas e fábulas, derrubando seus inimigos, livrando-os desses falsos e danosos espíritos preservadores que se passam por santos onde muitos esperam ver neles o justo juízo de Deus manifestado nas suas tolas promessas. Não devemos esquecer que um dia fomos também alcançado e resgatados dessas mesmas narrativas alegóricas e hoje sabiamente dependemos de Cristo em tudo. Tenhamos portanto simpatia com a sua natureza quando agiram quando não compreendiam e tristeza quando confiaram loucamente nestas entidades inanimadas apesar de saber que era espírito contrário ao de Cristo, levando-os para a ruína. Que Deus nos der aquiescência de grande alcance na verdade espiritual para conseguirmos restabelecer um a um na esperança messiânica da ressurreição, através da manifestação do Senhor em nosso caráter e conduta dando-nos eficácia em tudo que fizermos como cooperadores de Cristo.
Ir Clédio Monteiro 2003-06-07 =
enviado por Clédio - Dio as 19:26:08. comentários[0]envie este texto para um amigo

Antropomorfismo de Deus

Deus sabe que nosso conhecimento sobre Ele é limitado e finito, embora Ele seja infinitamente insondável. O que nós sabemos dele, é o que a Bíblia nos revela através das experiências e atividades humanas cheia de emoções, o que mostra que a instrução que podemos ter, é somente uma parte do seu lado pessoal o qual ninguem viu. O que até agora conseguimos saber, foi o que Ele mesmo nos revelou através da sua criação mencionada nas Escrituras Sagradas o que nos ajuda a entender melhor, mas quando temos que nos referir a Ele, sempre deixa algo a desejar. Alguém já disse que “conhecer a Deus” até o limite de que somos capazes por meio da Palavra, é o cerne da fé bíblica. Como podemos entender Deus que é todo poderoso e divino e ao mesmo tempo diz (I Reis 19:11-13) que sua presença não se apóia em tais demonstrações de poder, mas na aparente fraqueza de palavras proferidas com brandura. Devido sua grandeza, todos nós temos de algum maneira relacionamento com o Senhor, não importa se é de fé ou de incredulidade, de rebelião ou submissão, de murmura ou de louvor. Agora, alguns, isto é, os filhos, esses tem alem deste relacionamento, uma condição mais estreita, mais chegada chamada comunhão graça ao poder salvador de Cristo a quem estes se submeteram, mas no geral todos os homens e mulheres um dia estarão face a face com o Senhor para a felicidade de uns e tristeza de outros. A maneira mais conhecida que temos de Deus é a forma exemplar do Deus provedor que sustenta e defende seu povo, mas entendemos melhor suas maneira de ser quando aprendemos sobre Jesus, o “Emanuel” (Deus conosco) ainda assim, nos deixaria ansioso por mais, especialmente pelo seu retorno. Um dia conheceremos Deus plenamente como hoje somos plenamente conhecido por Ele (I Co. 13:12). Somente o “tolo” a pessoa maligna e corrupta, diz no seu coração: “não há Deus” (Sl. 14:1). “Pois, ainda que haja também alguns que se chamem deuses, quer no céu quer na terra (como há muitos deuses e muitos senhores), todavia para nós (crentes) há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual existem todas as coisas, e por ele nós também” (I Co.8:5-6). Deus preexiste e auto-subsiste (Sl. 90:2), é Deus bondoso que proclama: “Eu sou o Senhor, e não há outro; fora de mim não há Deus; eu te fortalecerei, ainda que não me conheças” (Is. 45:5). Amém!
Ir. Clédio Monteiro 2003-03-08 =
enviado por Clédio - Dio as 19:25:37. comentários[0]envie este texto para um amigo

Aconteceu

(Baseado em Lucas 5:1-11) Certa vez, Jesus mostrou interesse em conhecer minha vida. Desta forma, meu coração me apertou com o desejo de converter-me no ouvir a palavra de Deus fazendo-me interessar em sua busca. Jesus (representado) na Primeira Igreja Batista viu que eu o procurava junto às praias, nos clubes, nos shopping; mas em todos esses lugares não havia quem desse notícias dele para mim. Um dia, enquanto lavava as redes do meu coração, redes que eu usava aleatoriamente para angariar os meus desejos, de repente, num minuto só, Jesus adentra inspirando o coração que era meu (sim, porque agora é dele), e logo pediu que me afastasse um pouco do mundo; e, acomodando-se, ensinava-me, transmitindo conhecimentos às multidões do meu ser mudando-me gradativamente mas sem alterar o conteúdo. Quando acabou de falar o que eu poderia ouvir, disse a mim um mandato estranho: Leve seu pensamento para as sua necessidades espirituais e lançai a vossa fé em súplica pedindo ao Pai em meu nome. Ao que eu lhe disse em obediência imediata: Mestre, tenho meditado a noite toda, e nada entendo; mas, sobre a tua palavra, lançarei o pedido em oração. Feito isto, o resultado foi surpreendente conseguir obter uma grande quantidade de bênção, de modo que as graças se rompiam em mim. Acenei então aos meus familiares que estavam numa outra etapa realizando trabalhos, para virem valer-se de tantas bênçãos. Eles, pois, vieram, e enchemo-nos ambos com bênçãos sem fim, de maneira tal que quase íamos a uma imoderada excitação do espírito para melhor assimilar. Vendo isso, prostrei-me aos pés de Jesus, em confissão dos meus pecados dizendo com toda minha ignorância: Retira-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador (ainda bem que não fui atendido). Mas também não fugi. Como fugir de quem vencera meu coração! Pois, à vista da salvação que Jesus havia feito com sua presença divina em toda minha família, o espanto revelado pelo milagre se apoderara de mim e de todos os que comigo estavam, bem como, impressionando muitos irmão da Igreja, que eram testemunhas de como minha consciência e o meu coração relutavam no começo. Disse então Jesus a mim, concedendo-me faculdade para compreender a sua personalidade: Não temas; de agora em diante serás pescador de homens. E, agora deixarei meus filhos viverem suas vidas em paz, devidamente batizados e integrados numa comunidade de amor cristã, para atender a chamada ao serviço de Jesus. Ir. Clédio Monteiro 01 de fevereiro de 2003 – 5 anos de convertido = Ps. Você sentiu o desejo de aceitar Jesus? Você pode orar com suas próprias palavras, ou, se deseja, pode fazer suas as palavras da oração que segue: “Senhor Jesus, sei que sou pecador(a) e necessito de teu perdão. Sei que morreste na cruz por mim. Arrependo-me de meus pecados e peço-Te que me perdoes. Convido-Te a entrar em meu coração e em minha vida. Confio em Ti como Salvador e Senhor. Obrigado por salvar-me. Amém.” Bem vindo a família de Deus. Confesse sua fé publicamente e lhe obedeça, batizando-se e fazendo-se membro de uma igreja.
enviado por Clédio - Dio as 19:24:54. comentários[0]envie este texto para um amigo

Abominações

Há seis coisas que o Senhor detesta; sim, há sete que ele abomina: (Pv. 6:16-19) Inferido – Clédio Monteiro 1. Olhos altivos - Alma aplicada ao orgulho, e a soberba. Ferramenta do desvanecido. Homem de falsa folha de rosto e presunçoso. Sinais de envaidecimento. Vidas que perderam a nitidez da obediência primitiva e usa agudeza áspera no espírito com esperteza e percepção para invejar. 2. Língua mentirosa – Aquele que costuma articular mentiras. Falso, oposto à verdade. Que não é o que parece aparente. Estilo enganador e falaz; expressão fraudulenta, quimérica e ilusório de quem não é real; sinais de uma notação imaginária, impossível. Que toma a fantasia como realidade. Viperina, que leva a vida a dizer mal de tudo e de todos. 3. Mãos que derramam sangue inocente – Semelhante à víboras de natureza venenosa que executam trabalhos mordaz contra os inofensivos. Maléficos e perversos prejudicam os inocentes e propagam a traição contra os singelos e ingênuos. 4. Coração que maquina projetos iníquos – Maldizente de má índole que ofende a eqüidade, a retidão, a igualdade com injustiça. 5. Pés que se apressam a correr para o mal - Se opõem ao bem e adverso ao amor, prejudica tudo que ver; ferindo e incomodando as pessoas. Despropositados, causam calamidade, infortúnio e desgraça e fazem do ensejo razão de ofender, criando estragos e prejuízos por desgosto. 6. Testemunha falsa que profere mentiras - Que ao assiste a certos atos podem os tornar autênticos e legítimos, porem faltam com a promessa da verdade e mesmo chamada a depor sobre o que viu e ouviu, jura falso propositadamente em detrimento de outrem, as vezes até maquinando provas falsificadas de testemunho do que não viu ou ouviu. 7. E o que semeia contendas entre irmãos – Lançando a semente da altercação litigiosa, do debate oposto, da demanda judicial. lavrando alvoroço de sobressalto para fazer germinar o desespero. Espalhando a desordem, lançam desavença para a pratica da rixa. Alastram inquietação repentina com falsas notícias lesivas para fazer distúrbio sedicioso e propalar agitação moral, derramando apreensão e espargindo discorrida por aqui e por ali. Entremeiam o desalinho dos bons costumes, causando enfermidade espiritual, produzindo perturbação que, fomenta a incerteza e incrementa abalos mórbidos irremediável. enviado por Clédio - Dio as 19:24:23. comentários[0]envie este texto para um amigo

A Segurança Pôr Meio da Oração!

“Ó Tu que ouves as orações, a Ti virão todos os homens” (Sl. 65:2) A bênção através da oração por confiança em Deus, é um dos grandes benefício que o crente tem em seu favor, a qual ele pode valer-se sempre que necessite de livramento. A Bíblia é cheia de exemplos da extraordinária piedade do Senhor em ouvir o rogo dependente do seu povo. Foi nos tempos de Enos filho de Set que o homem começou a invocar o nome do Senhor (Gn. 4:26). O crente, é a “casa de oração de todos os povos”. E para sua necessidade universal veio o Espírito Santo interceder com gemidos inexprimíveis para o ajudar, pois, muitas vezes, não sabe como e o que pedir (Rm. 8:26). A oração deste santo, é o incenso que transborda na taça de ouro dos vinte e quatro anciões e dos quatro seres viventes que ficam na presença do Cordeiro de Deus (Ap. 5:8) e as vezes é atendida antes de concluída, como no caso de Daniel na oração maravilhosa de arrependimento coletivo pelo povo judeu (Dn. 9:3-23) quando ainda suplicava, o anjo Gabriel veio e o instruiu dizendo que ele era muito amado do Senhor, e tinha sentido na palavra e era entendido na visão. Por causa da sua disposição em orar três vezes ao dia, quando foi jogado na cova dos leões por esse ato, foi protegido e nada lhe aconteceu (Dn 6:10-17). O crente deve confiar no poder e na vontade de Deus pela fé que ele tem em Cristo, para o libertar das ameaças do mundo que embora as vezes cumprem-se, porem, não consegue seu propósito. Certa vez Jeosafá rei de Judá, assustado com os moabitas, buscou ao Senhor em súplica, convocou a nação a unir-se a ele num grande jejum, e enquanto esperava a resposta de Deus, Jeosafá liderou o povo numa grande oração de fé (II Cr. 20:6-13) e por meio de Jaaziel do clã de Asefe respondeu o Senhor - que o povo e o rei deveria assumir suas posições e simplesmente observar Deus fazer sua obra. Todo povo louvor ao Senhor e liderado pelo sacerdote clamavam e cantavam: “Rendei graças ao Senhor, pois o seu amor dura para sempre.” O próprio Deus colocou emboscadas contra o inimigo, então eles lutaram uns contra os outros e destruíram-se na presença das tropas de Judá. O impacto deste testemunho é claro e evidente, que, quando nos posicionamos com sinceridade em fazer nossa parte e colocamos com fé nosso propósito diante do Senhor em nome de Jesus, somos levados a vitória não só sobre o que havíamos suplicado mas, também nos prevenimos sobre outras cirandagens demoníacas, nos tranqüilizando (II Cr. 20:29-30). Notemos também que o comando pastoral da igreja é fundamental em todo processo; portanto devemos compartilhar com obediência os agradecimentos das vitórias, assim como fizemos com as necessidades. Jabez, quando soube que o seu nome significava “dor, tristeza”, sentiu receio de que profeticamente poderia ser prejudicado. Então orou sobre a questão ao Senhor, e o Senhor atendeu o seu pedido (I Cr. 4:8-9). De fato tratava-se de um problema herdado, mas, o Senhor concedeu uma solução. Aqui vemos que as nossas necessidades pessoais, ordinárias, pertinentes à vida diária devem ser levadas diante do Senhor – inclusive as materiais – são do interesse do Senhor mudar o desfecho para o nosso bem. Alem disso deseje que o Espírito do Senhor esteja contigo como disse Jabez: “Seja a tua mão comigo” e isso também Deus lhe concedeu. Quando não temos, é porque não pedimos (Tg. 4:2) em nome de Jesus que ordena: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrais; batei, e abrir-se-vos-á (Mt. 7:7) e ainda nos alerta: “Até agora nada pediste em meu nome (com fé). Pedi e receberes, para que a vossa alegria seja completa (Jo. 16:24). Ore sempre, sem jamais esmorecer (Lc. 18:1; 21:36).
Ir Clédio Monteiro 2003-02-08 =
enviado por Clédio - Dio as 19:23:56. comentários[0]envie este texto para um amigo

A Inteligibilidade do Ensino

Jesus, o representante da humanidade na glória, através das parábolas denotava a narração alegórica dos preceitos que continha ensino da filosofia que tratava dos atos evangélicos, dos bons costumes e dos deveres do homem em santidade perante os de sua classe. As parábolas, serviam de formas de instrução da honestidade, do pudor e das faculdades morais e espirituais. Foram histórias tiradas da vida normal que exprimiam a disposição do espírito para suportar as dificuldades, os perigos as provações com ânimo as quais eram aplicadas em tudo o que diziam respeito ao espírito ou à inteligência, por oposição ao que era imoral. Jesus usou as parábolas diante das multidões, dos religiosos, dos discípulos em aproximadamente um terço do seu ensino. Elas explicavam as verdades espirituais baseadas no cotidiano. Por exemplo, quando Jesus contou a parábola do semeador talvez houvesse algum agricultor que trabalhasse num campo próximo dali. O fato, é que devemos imitar Jesus quando tivermos evangelizando, e usar figuras do lugar comum ao que estamos a fim de captar o interesse das pessoas no que está sendo dito de significante sobre o ‘reino dos Céus’ embora, as vezes, não sirvam para que todos entendam imediatamente, mesmo assim, que seja adequado para refletir no ensinamento (Mt. 13:11). A luz do ensino de Jesus sobre o reino de Deus, que foi revelado por suas obras exige de nós fazer com que as pessoas ouvintes embora estando noutro estágio, cheguem a compreender o que para eles era um mistério de forma que, quando isso ocorrer, seja como uma rede de pesca, arrastando os pecadores arrependidos para à presença do Senhor. A maior dificuldade das pessoas, não é sobre o reino de Deus que virar com poder, porem, de como entender este mistério revelado em suas vidas diárias através das coisas que os cercam não com glória, mas como sacrifício e sofrimento que requer humildade e confiança como de uma criança (Mc. 10:15). O nosso dia a dia, é um conjunto de verdades sobrenaturais manifestadas por Deus a nós através da inspiração, da ilustração ou do ensino oral comunicado. Se prestarmos atenção no que está acontecendo em derredor, podemos ver um operador de maravilhas com grande amor, testemunhando coisas que estavam em segredo e que lembram o senhorio de Jesus, sua autoridade sobre todas as coisas e o mais surpreendente, sobre nosso destino, fazendo responder com fé os que se viram diante da mão deste Deus (Lc. 11:33). E quanto mais reparamos as evidências, mais fica claro que Jesus é o caminha, a verdade e a vida. Estas manifestações serão identificadas mais perfeitamente naqueles que cumpri os propósitos de Jesus (Jo. 15:15) enfatizando a voluntariedade de conhecer os eventos embora as vezes alguns sejam extremamente desagradáveis e doloroso dentro dos planos de Deus ainda assim, demonstram suas prerrogativas de contentamento e fé quando estão sobre o poder das trevas como provações.
Ir. Clédio Monteiro 2003-03-06
= enviado por Clédio - Dio as 19:23:22. comentários[0]envie este texto para um amigo

A disciplina do Senhor
(Ir. Clédio Monteiro)

“Mas, se estais sem disciplina, da qual todos se têm tornado participantes, sois então bastardos, e não filhos” (Hb 12:8). A nossa nova vida com Cristo não impede de sermos atacados pelo mundo que é a fonte de valores em oposição a Deus e seus filhos; não nos impede de sofrermos investidas impetuosas da nossa própria carne, natureza humana pecaminosa inclinada para o mal, e também das invertidas do príncipe da potestade do ar, inimigo implacável de Deus pela soberba. No entanto, resista ao mundo Rm 12:2; resista à carne Rm 6:19; resista ao diabo Ef 4:27. Essas três fontes cooperam entre si para destruir; onde Satanás com falsa persuasão, incita a carne pela submissão dos desejos do mundo que destorcendo a verdade de Deus, leva o homem à tentação de ir além dos limites estabelecido por mandamentos (Tg 1:13-15). Você consegue identificar algum sofrimento na sua vida que seja um resultado direto do fato de você não ter resistido a essa tramóia? Esta tentação já estava prevista por Deus, portanto ele providenciou para que ela não fossem maior do que pudéssemos suportar (1 Co 10:13). Entretanto tem o problema da nossa parte de não resistirmos ao embaraço do assedio requerendo com isso a disciplina. Qual a tentação tem sido mais difícil para você resistir ultimamente? A disciplina do Senhor nos tempos anterior a Cristo era do tipo punitiva. O plano de justiça era de que onde houvesse culpa haveria punição (Dt 8:5). Já, a disciplina do Senhor para com o crente em Jesus não é mais punitiva, pois, Cristo já removeu toda nossa culpa pelo seu sangue derramado na cruz (Rm 3, 4, 5, 8), e sim, um ato de misericórdia de Deus que entretanto necessita de uma correção ou repreensão quando persistente. “Filho meu, não desprezes a correção do Senhor, nem te desanimes quando por ele és repreendido” (Hb 12-5b). A nossa reação à disciplina é não menosprezar a correção pois segundo Provérbio (6:23), as repreensões da disciplina são o caminho da vida, e sabemos muito bem que o verdadeiro caminho da vida é o Senhor Jesus sem o qual ninguém vai ao Pai, senão por Ele (Jo 14:6). Quando a tentação vem, o que tem lhe ajudado a resistir? As Escrituras; a oração; ou conversa com alguém sobre ela? O que precisamos fazer para vencer as tentações alem de estarmos com os olhos fitados em Jesus que é o autor e consumador da nossa fé, é imitarmos o salmista (40:3) que põe na sua boca um cântico novo, um hino de louvor ao vosso Deus; e com isto, não só vence as tentações para participar na santidade de Deus, como muitos verão isso e temerão, e confiarão no Senhor que reproduz justiça e paz na vida de todos que persevera. Por isso dou graças ao Senhor. Amém! DESAFIO: Quando você é mais vulnerável à tentação? ? Quando está cansado ou se sentindo estressado ? Quando está sozinho ou longe da sua família ? Quando não está esperando uma investida ? Quando permite que certas coisas ocupem a sua mente ? Depois de uma experiência espiritual forte Como você vai agir agora? enviado por Clédio -
Dio as 19:21:57. comentários[0]envie este texto para um amigo

A Bênção da Desesperança.

O desejo de ser abençoado muda o nosso interior, santificando-o pelo clamor das bênçãos prevalecidas pela infinita misericórdia do Senhor, que, nunca pode ser derrotado pela força, mas sempre será vencido na súplica proferida pela fé de um homem que quer uma bênção para compartilhar com sua família no mesmo nível do compromisso espiritual. Mas, logo vemos que as coisas velhas não passaram totalmente, nem todas tornaram-se novas. Basta o Senhor abençoar para que os problemas sejam soluções e com isso, aflora toda a hipocrisia novamente - tornando-se as vezes desonesto e oportunista. A sorte, é que o espírito está comprometido com a promessa, e isso, faz com que até o oportunismo possa ser santificado, pela disciplina de Deus que educa e consagra quando se anseia cumprir o voto na íntegra, como que transformado pela lição aprendida. E neste retorno, o Senhor dar esperanças, reafirma as promessas, repete as bênçãos da posteridade e possessão, confirmando seu nome num novo começo, emergindo-o com uma vida gloriosa. Deus o sustenta, porque o homem precisa dessa segurança para o próximo evento da provação, quando ele, novamente, recorrerá às bênçãos das desesperanças. Estou para morrer, e eis que veio novamente as provações, mas Deus será comigo! Até que eu reconheça que não sou digno de bênção para novamente descansar na promessa de Deus. Ir. Clédio Monteiro 2003-02-21 (com base em Gn. 32:22-31; 35:9-15; Hb 12 1-11) enviado por Clédio - Dio as 19:19:17. comentários[0]envie este texto para um amigo
Share on Google Plus

About Doutrina Cristã

0 comentários:

Postar um comentário

Não use o silêncio como a melhor forma de dizer Aleluia!
Deixe seu comentário.
Ele é muito importante.
Obrigado