Breaking News

ads header
  • Breaking News

    sábado, 4 de outubro de 2008

    Arquivo blog: clediomonteiro.webblogger.terra.com.br

    sexta-feira, 13 de fevereiro de 2004



    A DEUSA ESCURIDÃO
    “Limpa a mente e abe a intuição?”

    O primeiro ciclo de nossa vida é realizado em completa escuridão no ventre materno. É lá que tudo tem início, é lá que a vida começa. Da mesma forma foi com a criação do mundo – “No princípio havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. Gêneses 1:2. Não parece a criação do mundo como o início de uma gravidez? É por isso que Cristo falava das dores de parto referindo-se ao fim dos tempos.
    Para uma dia podermos emergir na luz do entendimento, temos primeiro que fazer mudanças na escuridão da nossa vida, aprendendo com as trevas que nos rodeia sem temor.
    É preciso ter fé para receber conhecimento, mas também é preciso duvidar a fim de discernir o que é verdadeiro nele. Portanto assim como entramos na escuridão para encontrarmos a luz, assim é a razão de Deus que abre e fecha portas para guiar-nos para onde devemos estar em qualquer momento de nossa vida.
    O impacto das mudanças as vezes nos desnorteia mais a partir dessa escuridão momentânea, nossa consciência filtra as informações e nos faz ver com clareza o novo sentido que reverte e equilibra a influência de uma possível dificuldade, norteado-nos rumo a um estado de repouso. Alem disso, vemos que tudo acaba tendo um fim e, portanto a fase difícil também é passageira.
    Nossa intuição através das ‘portas abertas e coração tenebroso’ nos exaure com todo esforço para colocar as coisas nas devidas perspectiva fazendo-nos ver a importância dos momentos escurecidos como um processo que nos faz abrir mão do passado e morrer para ele em um nível muito profundo de modo a caminharmos rumo a luzerna da nova verdade e levarmos nossa vida a seu término.
    Assim como o poder da escuridão tem ascendência sobre o solstício da luz do pirilampo, por um tempo, o nosso ego pode dominar nossa voz interior e nos colocar em mal situação totalmente desequipado, mas o espirito que reflete como um farol, nos orienta a abrir mão deste ego obscurecido e seguir o brilho da nossa intuição fazendo-nos encontrar as respostas para todas as perguntas que nossas mentes possam criar. Este é o poder que nos permite a partir dos momentos obscuros, conectar-nos com o Espirito Santo que nos dar sabedoria e orientação para novas descobertas e percepções. Seja dia difícil ou fácil, cada um tem suas próprias (luzes) lições a ensinar. Uma das coisas mais importante no caráter de um homem, é saber esperar o inesperado.
    As vezes você é levado a mudar todas as regras como o dia vira noite e a noite vira dia; como também as vezes a lua encobre o sol pelo eclipse como se ela tivesse poder sobre ele e as trevas poder sobre a luz. São os períodos de dificuldades físicas e emocionais; são ciclos de aprendizado. Neste momento e preciso paz e amizade para aceitar ‘com prazer’, reconhecendo que tempos difíceis trazem seus próprios ensinamentos.
    Se o gozo e paz advém das dificuldades, assim então é a luz, a perfeição da escuridão como a clareza das coisas é a revelação da obscuridade. Nós somos impulsionados a seguir a luz por simples temor às entranhas da escuridão. Ou seja: ela é o pedestal da nossa mestria, do nosso primor!

    Ó escuridão exuberante,
    quanto mais escura tu eis,
    mais pomposa, mais vistosa, mais esplendorosa
    tu fazes ser: a alvura resplandecente da luz;
    Que tem como ascendência,
    a turvada e anoitecida escureza do abismo!


    Por Clédio Monteiro
    Em 2002-04-15
    =






    enviado por Clédio - Dio as 02:36:06. comentários[0]

    envie este texto para um amigo

    À Expensas de Deus
    (Salmos 104)
    "Todos esperam de ti que lhes dês o sustento a seu tempo. Tu lho dás, e eles o recolhem; abres a tua mão, e eles se fartam de bens. Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras a respiração, morrem, e voltam para o seu pó. Envias o teu fôlego, e são criados; e assim renovas a face da terra. (v.27-30)".
    Ó Senhor meu Deus, que todo meu ser Te louve! Por que todas as criaturas, racionais e irracionais, são igualmente dependentes de Te. Assim como a criação, a conservação de nossas vidas, é uma obra Tua. E com a tua severidade ou serenidade, Tu visita nossas discordâncias e triunfa finalmente sobre os que nos submeteram. Santifica nossas vidas ó Senhor para que Tu possas fazer maravilhas entre nós. Aviva-nos Senhor!
    Cantarei ao Senhor enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu existir (v.33).
    Em tributo ao meu Deus!
    Em nome de Jesus!
    Amem!
    Ir. Clédio Monteiro
    2002-11-26
    =


    enviado por Clédio - Dio as 02:33:51. comentários[0]

    envie este texto para um amigo
    A Fé é Cíclica
    "Se você é líder de uma empresa, provavelmente o maior erro que pode cometer durante qualquer tipo de recessão é 'amarelar'. Em tempos difíceis, se você se concentrar em ‘não perder’ em vez de ‘em ganhar’, estará morto, esborrachado no chão" Conselho de Warren Bennis professor e primeiro presidente da University of Southern Califórnia.
    Tenho certeza que Deus abençoa aqueles que fazem as coisas direito em qualquer circunstância e ainda mais se junto a essa mobilidade ainda tenham a disposição de ajudar pessoas com entusiasmo. Eles crescerão além das dificuldades - e ainda ficará melhor por causa delas. Até um jogador de baralho sabe que quando as cartas são ruins, ele deve jogar do modo mais inteligente possível a fim de superar as diversidades.
    Portanto, quando a fé desacelera, devemos sustentar nossas esperanças em quem é mais forte – Jesus Cristo que está em nós (I João 4:4). Embora a tentação é fazer exatamente o oposto - acreditar nas vulnerabilidades de poder ser atacado ou ferido. Porém, a menos que seus temores sejam extremamente grandes e tenha imenso potencial sobre sua fé, você ainda assim, estará apenas substituindo o mau pensamento pelo bom.
    Um crente em Jesus deve ter sempre a mesma fé se possível crescente, seja em tempos bons ou ruins: deve vencer o paralelismo da incredulidade. As esperanças podem estar 'capenga', as obras talvez se mostrem sem resultados, mas a questão vital é sempre esta: você está indo melhor com Cristo do que sem Ele? Remissão é e será sempre algo proporcional a nossa fé (I João 1:9).
    Perseverança é a chave de uma fé constante, qualquer que seja a tribulação, mesmo porque não há anuência pessoal a Deus, fácil. Eu tiro por mim, porque minha fé em Deus por Jesus não veio por acaso, o único modo em que eu obtive visão, foi fracassando. Às vezes temos de vivenciar os erros para entender como ter salvação pela fé em Cristo (I Pedro 2:2).
    Quando a disposição de ânimo à prática de coisas censuráveis chega, esteja preparado para tomar decisões difíceis para poder continuar com o foco no lugar donde saem emanações de Cristo. A história tem mostrado que a fé é cíclica: sempre há períodos de declínio após um boom. Se você puder satisfazer as necessidades do seu dia-a-dia sem, contudo alterar a tonalidade da sua fé com Cristo, seu desígnio sobreviverá (Romanos 10:13).
    No limite, pode-se dizer que a recessão da fé reforça o fato de que o crente sobrevive fraco ou não. No final do dia, se você pode provar a se mesmo sua capacidade de criar valores que descanse sua fé em Deus, será uma bênção de renovação física e espiritual - não importa por quantos altos e baixos passará a sua confiança em Cristo "...porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé (I João 5:4).
    Ir. Clédio Monteiro
    2002-11-19
    =


    enviado por Clédio - Dio as 02:30:37. comentários[0]

    envie este texto para um amigo
    A HARMONIA QUE NOS CERCA

    Uma vida difícil, abraçada com prazer, edifica a alma e o espírito de modo não precisarmos ter medo de coisa alguma. Será uma aventura cheia de delícias e percepções inesperadas. Ela não será fácil, mas será divertida, porque uma vida fácil é monótona e pouco contribui para o crescimento da alma, mas, também não enfrentaremos qualquer adversidade acima da qual não possamos erguer.

    A luz da verdade inspira;
    O Espírito Santo incentiva a ir avante;
    O poder da fé edifica:
    Para que você caminhe para frente e para cima sempre,
    Com beleza e respeito por todas as coisas;
    Haja o que houver seja como for!

    Essa é a realidade de um cristão, seguir um caminho que lhe permite viver em dois mundos e interagir com a cinética de ambos. Vivendo uma vida comum, com todos os problemas de contas a pagar e receber, dificuldades e desafios para vencer e tudo mais que significa a vida no mundo; entretanto, ao mesmo tempo vivendo uma vida espiritual, convertida na possibilidade de ser guiado completamente pelo Espírito Santo de Deus, Pai de Cristo e interagindo com a fé, esperança e confiança que traz a paz e o gozo da segurança de forma que, ao confrontar com os problemas do mundo cotidiano, entra-se no outro mundo espiritual, não para fugir, mas para retirar dele as inspirações necessárias a aumentar a compreensão que determina o que é bom e o que e mau, porque ambos os mundos fazem parte da harmonia que nos cerca no universo; tem as mesmas leis fundamentais – O que aprendemos em um, serve no outro e vice-versa e fluindo nessa espiral de aprendizado, vamos compreendendo a roda da vida e aceitando os acontecimentos com prazer uma vez que sabemos quem somos nós, pela maneira como construímos nossa vida tão real como qualquer outra, embora as vezes pareçamos estranhos ou esquisitos quando rejeitamos comparecer a um grande ato social, apenas porque vamos realizar um culto de louvor.
    Uma vida cheia de beleza e prazer depende dos bons pensamentos que fazem de tudo sem buscar nada em troca. De outra maneira, se seus pensamentos não são puros, eles atrairão raiva e ressentimentos e o resultado é uma vida caótica.
    Honre a criação de Deus, Pai de Cristo - não julgando nada, porem procurando aprender com as coisas sem preconceitos, terá percepções inesperadas de como tirar o melhor de cada momento. Isto é o sentido da vida.

    Adaptado do livro ‘Rituais Celtas’ de Andy Baggott
    Por Clédio Monteiro
    Em 2002-04-13
    =





    enviado por Clédio - Dio as 02:29:01. comentários[0]

    envie este texto para um amigo

    A sensação, o desejo e as boas intenções.

    É o amor às sensações que leva a humanidade de um lado para outro para satisfazer à fome no mundo econômico ou para satisfazer o desejo de felicidade em um mundo de prazer. Levando-nos a passar pelo nosso inferno pessoal, que leva-nos a ingressar no inferno coletivo.
    Os violentos impactos da sensação são buscados para manter a mente ocupada. Buscar atingir em primeiro lugar a sensação é primordial porque ela sempre deixa a mente escravizada, quando esta deveria estar livre; e também, porque o desejo subjaz a todas as sensações - é o que o desejo procura expressar e assim, ganhar satisfação no mundo exterior. Já as boas intenções, não passam de intenção. Todos sabemos que as boas intenções da criatura humana quase nunca correspondem à sua verdadeira necessidade ou à de outrem; elas têm origem no desejo, e por isso permanecem em nível ilusório, como que lutando contra moinhos de vento.
    Assim, tem-se no centro o desejo que é o principal, porque motiva e dirige as outras. Em um lado a sensação exemplificando todos os impactos, e do outro lado as boas intenções jamais concretizadas, pelo que, desde há muito se diz que: "O inferno está cheio de boas intenções".
    As três juntas, representam todas as ilusões que impedem o progresso da vida espiritual; o materialismo que nos detém no nível inferior da existência; a natureza psíquica inferior, que causa tanta destruição; o medo, sob qualquer manifestação; o medo do fracasso, que impede tantos de agirem, criando somente a inércia. Por isso os guardião do Inferno, simbolizam a sensação, o desejo e as boas intenções.
    Não se pode aprender por "ouvir dizer", mas apenas por meio da vivência. Aprenda a lidar com o próprio subconsciente, e tenha condições de servir em âmbito maior. Essa ampliação de sua capacidade de prestar serviço é uma verdadeira realização, do ponto de vista da alma.
    Na verdade, à medida que nos libertamos das cadeias que nos prendem (representada pela situação de toda a humanidade) é que nos tornamos aptos a ajudar o próximo e então, passamos a ser cada vez mais úteis ao Plano Evolutivo.

    Adaptado do livro OS TRABALHOS DE HÉRCULES. Alice Bailey e do livro HORA DE CRESCER INTERIOMENTE. Trigueirinho.
    Por Clédio Monteiro
    Em 2002-05-29
    =



    enviado por Clédio - Dio as 02:27:56. comentários[0]

    envie este texto para um amigo

    A VISÃO DO MUNDO

    A classe economicamente dominante tende a considerar sua visão de mundo como "correta", negando as outras concepções de vida. Isso lhe permite, através de mecanismos sociais evidentes (por exemplo, a posse dos meios de comunicação) ou não (por exemplo, um dado sistema de ensino teoricamente "igual para todos"), impondo a sua hegemonia, perpetuando-se no poder. É inadmissível que a Igreja de Cristo, inocentemente, faça parte de um desses mecanismos sociais pervertidos, "impondo", através de sua autoridade injustificada, modos de encarar a sua existência estranha ao meio dos que ainda estarão por vim através do ouvir, ler e meditar sobre o Evangelho de Cristo.

    Dessa forma, nosso problema é espiritual, mas a ética também diz respeito não sobre a moral, ligada aos costumes, à lei (embora este deva ser respeitado!). Mas de ética no sentido grego de "ETHOS", da "morada" do indivíduo, do seu habitat, daquilo que lhe é familiar, ali onde ele tem a sua identidade e o seu limite, ali onde a vida lhe faz sentido, e que é ali onde a Igreja deve atuar, falando do Plano maravilhoso que Deus tem para suas vidas com propósito de uma abundante e plena paz.

    Isto pode parecer fácil, mas supõe uma formação que excede a Teologia, prendendo-se também à Antropologia, à Filosofia e à própria experiência de vida Cristã. (tendo haver sobre o Dom - sua independência em relação ao evangelista) Levando a fundo as considerações e precedentes, a questão Evangélica, está muito além do âmbito científico, é Bíblica e vai encontrar seu esclarecimento na espiritualidade, razão maior que da política, da ética e da estética, que funciona como elemento de suporte para uma atitude Teológica, aberta à pluralidade evidenciada na Antropologia e na Filosofia podendo vim a proclamar Cristo fazendo muitos a experimentar um relacionamento perfeito com Deus.

    O meio sociocultural que dá sentido e realidade à experiência do homem natural precisa ser acessível à experiência do evangelista, para que possa compreender, além de um esforço analítico, o reconhecimento da existência de outro caminho, outra verdade e outra vida com Cristo acima dos contextos sociais, econômicos. E quando o indivíduo percebe Jesus Cristo como Salvador e Senhor, por meio de uma determinada maneira, ele tenta exprimir essa descoberta numa acepção completamente diferente, sem que essa outra face das coisas esteja "errada" em algum sentido. Isso é a prova de que ele creu, e Cristo já deu-lhe o direito de se tornar filho de Deus.

    Podemos avaliar as dificuldades teóricas e práticas do evangelismo pelo caminho da linguagem popular onde é possível vislumbrar o universo de crenças em que se move o homem natural. Perceber também a realidade e a legitimidade desse universo e procurar a "tradução" possível entre essas concepções de mundo, envolve um encontro espiritual permanente com Cristo confiando a capacidade de evangelista em Cristo, e crendo que Cristo é o único que pode perdoar, salvar e converter através da graça consedida. Sem essa avaliação prévia a tarefa redunda em fracasso.

    Clédio Monteiro
    2002-02-16

    enviado por Clédio - Dio as 02:26:04. comentários[0]

    envie este texto para um amigo
    Aconteceu
    (Baseado em Lucas 5:1-11)
    Certa vez, Jesus mostrou interesse em conhecer minha vida. Desta forma, meu coração me apertou com o desejo de converter-me no ouvir a palavra de Deus fazendo-me interessar em sua busca. Jesus (representado) na Primeira Igreja Batista viu que eu o procurava junto às praias, nos clubes, nos shopping; mas em todos esses lugares não havia quem desse notícias dele para mim.
    Um dia, enquanto lavava as redes do meu coração, redes que eu usava aleatoriamente para angariar os meus desejos, de repente, num minuto só, Jesus adentra inspirando o coração que era meu (sim, porque agora é dele), e logo pediu que me afastasse um pouco do mundo; e, acomodando-se, ensinava-me, transmitindo conhecimentos às multidões do meu ser mudando-me gradativamente mas sem alterar o conteúdo.
    Quando acabou de falar o que eu poderia ouvir, disse a mim um mandato estranho: Leve seu pensamento para as sua necessidades espirituais e lançai a vossa fé em súplica pedindo ao Pai em meu nome.
    Ao que eu lhe disse em obediência imediata: Mestre, tenho meditado a noite toda, e nada entendo; mas, sobre a tua palavra, lançarei o pedido em oração.
    Feito isto, o resultado foi surpreendente conseguir obter uma grande quantidade de bênção, de modo que as graças se rompiam em mim. Acenei então aos meus familiares que estavam numa outra etapa realizando trabalhos, para virem valer-se de tantas bênçãos. Eles, pois, vieram, e enchemo-nos ambos com bênçãos sem fim, de maneira tal que quase íamos a uma imoderada excitação do espírito para melhor assimilar.
    Vendo isso, prostrei-me aos pés de Jesus, em confissão dos meus pecados dizendo com toda minha ignorância: Retira-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador (ainda bem que não fui atendido). Mas também não fugi. Como fugir de quem vencera meu coração!
    Pois, à vista da salvação que Jesus havia feito com sua presença divina em toda minha família, o espanto revelado pelo milagre se apoderara de mim e de todos os que comigo estavam, bem como, impressionando muitos irmão da Igreja, que eram testemunhas de como minha consciência e o meu coração relutavam no começo.
    Disse então Jesus a mim, concedendo-me faculdade para compreender a sua personalidade: Não temas; de agora em diante serás pescador de homens.
    E, agora deixarei meus filhos viverem suas vidas em paz, devidamente batizados e integrados numa comunidade de amor cristã, para atender a chamada ao serviço de Jesus.
    Ir. Clédio Monteiro
    01 fevereiro de 2003 - 5 anos de convertido.

    enviado por Clédio - Dio as 02:25:03. comentários[0]

    envie este texto para um amigo

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Não use o silêncio como a melhor forma de dizer Aleluia!
    Deixe seu comentário.
    Ele é muito importante.
    Obrigado