Header Ads

Dons e Fruto


Dons e Fruto

Por: Clédio Monteiro
Em 2003-08-08

Se você pudesse, num piscar de olhos saber que não falharia o que você faria?

No fecundo caminho da vida, os “dons” que se recebe; e o “fruto” que damos ambos resultantes do Santo Espírito para serem descobertos e compreendidos com talento, paixão e estilo pessoal de forma a poder contribuir com excelência no momento certo, pela razão certa a fim de produzir impacto cada vez maior, mostrando como se pode servir ao mundo com implicações para a eternidade.
Todos nós, no final da vida, gostaríamos de olhar para trás e saber que fez algo em prol de alguém!
O Dom – É uma dádiva, um presente de Deus que se recebe como um dote natural; e quando usado com espírito ilustrado de sabedoria, proporciona aptidão, habilidade com grande capacidade especial para servir com virtude, agudez de espírito e qualidade invulgar.
Não há dons certos ou errados. Mas podem ser confundidos com “talento”. A distinção fundamental entre “Dom e Talento” está em que o dom nos capacita a “usar as coisas” para o bem comum com sabedoria. Enquanto o talento nos “ensina” a construir com inteligência. Ambos se completam embora o talento seja comum a todos e o dom singular a alguns. E já que estamos falando de distinção, quero ressaltar uma outra com relação à “Posição” - circunstâncias em que alguém se acha; pois estes títulos podem ou não combinar com o dom da pessoa, e alem do mais, isso é uma situação em que “se está” e não, o que se é de fato por dom. Estes títulos só têm valor dentro do propósito de comunicação.
No entanto a paixão é o sonho maior, porque ela responde a um sentimento forte de desejo, que nos faz conversar até tarde da noite a respeito... Não há paixão certa ou errada, pois ela é um movimento impetuoso da alma dado também por Deus que nos impele a fazer diferença numa determinada área da vida. Existe uma grande diferença entre dom e paixão: o dom responde a pergunta - “o que devo fazer”; enquanto a paixão determina “onde você deve servir”. Portanto, procure compreender sua paixão combinando-a ao seu dom. Essa descoberta vai lhe ajudar a ser frutífero e realizado naquilo que você acha ser sua paixão, juntamente com o que você pensa ser seu dom. Isso porque, você vai está servindo com obediência a sua paixão e dom numa atitude que diz: “eu quero servir...” tornando esta ocupação um orgulho, onde você pode se sentir especial. Se eu mencionasse seu nome a um grupo de amigos seus, o que eles diriam ser sua grande paixão?
Podemos considerar esta junção com sendo o “estilo pessoal” que responde “como” deve ser o enfoque do relacionamento no negócio. Este estilo é motivado a cuidar de pessoas ou de tarefas e tanto um como o outro valorizam o cumprimento do alvo estabelecido, mas cada um tem os meios prioritários e secundários para alcança-los. Estes meios tendem a ser flexível, se proferir dispor de mais opções tornando as soluções espontâneas e não estruturadas em diretrizes; ou inflexível onde a estrutura prefere planejar pondo ordem na coisa visando os resultados agendados. Você se organiza com ou sem estrutura e o que o estimula, tarefa ou pessoas? Seu estilo pessoal explica e justifica. Portanto não há estilo pessoal certo ou errado. Há sim, um plano de Deus em sua vida! E a sua contribuição individual é servir de modo a expressar o dom, a paixão e o estilo pessoal que recebeste gratuitamente. Enquanto sua contribuição comunitária é envolver-se em rotinas que “usando coisas”, possa vir a edificar pessoas. Existe fatores que afetam a sua capacidade de contribuição individual ou comunitária? Avalie sua disponibilidade e suas prioridades com disciplina espiritual, isto é: com oração e adoração a Deus para crescer na fé e desenvolver o caráter.
Enquanto o dom é uma dádiva que vem do alto para o homem, sem que ele possa interferir; o “Fruto”, que é resultante do desenvolvimento do ovário da ação virtuosa do dom contribuído significativamente, brota do nosso coração na qualidade de “ser” a marca da maturidade do amor, da felicidade, da paz, da generosidade, da paciência, da benignidade, da bondade, da fidelidade para o esplendor de Deus e edificação dos outros. O fruto, é o filho prole, é o rendimento, é o lucro, é o proveito do produto das bênção que recebemos como dom de Deus!
Tanto o Fruto do Espírito quanto os Dons Espirituais são evidentes na vida daqueles que amam a Deus sobre todas as coisas. Ambos são importante para uma vida bem equilibrada.
Tecnologia do Blogger.